Para IBGE, consumo do governo no 2º tri foi puxado pela parte da saúde pública

O crescimento do consumo do governo no 2º trimestre de 2023 ante o primeiro se deve, principalmente, aos gastos com saúde pública, informou a coordenadora de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis.

O consumo do governo subiu 0,7% na margem, a quarta alta trimestral seguida e a maior desde o terceiro trimestre de 2022.

Outro fator que influenciou a alta no consumo do governo, disse a especialista, foi o crescimento de obras públicas municipais.

"A alta na construção tem influência de gastos de governos municipais. O ano que vem tem eleição municipal, e as prefeituras começam a gastar mais também. Isso beneficiou não só o consumo do governo como, também, a parte da construção civil", disse Rebeca Palis.