'Se não houver mais crescimento, já avançamos 3,1% em 2023', diz secretário da Fazenda

O secretário executivo do Ministério da Fazenda, Dario Durigan, comemorou na manhã desta sexta-feira, 1, o resultado do PIB do segundo trimestre, que registrou alta de 0,90% ante o primeiro trimestre. A jornalistas, Durigan ressaltou que o dado veio "bem acima" da mediana de expectativas e que, se o Brasil não registrar mais crescimento neste ano, o PIB deverá ter avanço de 3,1% em 2023. "É importante dizer, estamos com dado bastante positivo de crescimento do País", disse o número 2 do ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Do PIB do segundo trimestre, Durigan destacou o resultado do mercado interno, que, do ponto de vista da demanda, "surpreendeu", além dos dados positivos da indústria.

O resultado foi divulgado mais cedo pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como mostrou o Estadão/Broadcast, o dado veio acima da mediana das previsões de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam alta de 0,3%. O intervalo das estimativas ia de queda de 0,1% a uma alta de 1,1%.

O último Boletim Macrofiscal de 2023 da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda estimava crescimento do PIB deste ano em 2,5%.