Em carta ao G20, FSB alerta para riscos de juros altos e vulnerabilidades no sistema financeiro

O Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês) alerta os líderes dos países que participarão da cúpula do G20, na Índia, que as altas de juros no mundo, juntamente com as perspectivas de abrandamento de crescimento global, poderão prejudicar "a capacidade dos mutuários de servir a dívida global historicamente elevada e criar desafios tanto para os credores bancários como para os não bancários".

Em carta assinada pelo presidente do FSB, Klaas Knot, em tom similar à missiva enviada em julho para o G20, o conselho também relembra a turbulência do setor bancário ocorrida no início do ano, que foram um "lembrete claro" da velocidade da exposição das vulnerabilidades no contexto atual. Knot destaca que o FSB vem abordando as vulnerabilidade financeiras e buscando aumentar a resiliência do sistema financeiro às mudanças estruturais.

"Haverá certamente mais desafios e choques que o sistema financeiro global enfrentará nos próximos meses e anos. Mas é possível, através de uma ação política concertada por parte das autoridades, que o sistema financeiro absorva, em vez de amplificar, estes choques", avalia Knot.

Ainda, Knot aponta que o sistema financeiro global segue evoluindo em resposta a duas tendências: digitalização e as mudanças climáticas, de forma que o FSB está coordenando o trabalho para abordar como essas questões afetam o sistema financeiro. "Um exemplo notável de digitalização acelerada foi o surgimento de criptoativos, incluindo as chamadas stablecoins. Uma série de incidentes ocorridos no ano passado realçaram as vulnerabilidades no ecossistema dos criptoativos, o que justifica uma monitorização atenta, dadas as ligações crescentes com o sistema financeiro tradicional".