Chance de Fed aumentar juros até novembro volta a ser majoritária, após dados nos EUA, diz CME

Após a divulgação de dados de mercado de trabalho dos Estados Unidos, a curva voltou a precificar de forma majoritária pelo menos mais um aumento de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) até novembro, conforme aponta plataforma de monitoramento do CME Group.

Por volta das 9h45 (de Brasília) desta quinta-feira, a ferramenta mostrava 48,7% de chance de que a taxa básica esteja no nível atual (entre 5,25% e 5,50%) até novembro, comparado com 52,9% na quarta-feira.

Já o risco de uma elevação de 25 pontos-base cresceu de 43,7% para 47,2%, enquanto o de um alta de 50 pontos-base avançou de 3,4% para 4,2%.

O reajuste nas expectativas acontece após o Departamento do Trabalho dos EUA informar uma inesperada queda nos pedidos de auxílio-desemprego no país na semana passada. Já os custos da mão de obra foram revisados para cima.

Apesar disso, para a próxima reunião monetária do Fed, em setembro, a plataforma do CME Group ainda aponta 91% de probabilidade de manutenção de juros e 9% de elevação de 0,25 ponto porcentual.