OMC: tensões geopolíticas começam a provocar fragmentação, mas comércio global segue resiliente

A Organização Mundial do Comércio (OMC) vê sinais iniciais de que tensões geopolíticas começam a provocar uma fragmentação da economia global, segundo relatório anual divulgado nesta terça-feira, 12.

Ainda assim, a instituição multilateral avalia que resiliência dos fluxos comerciais minimiza os temores sobre "desglobalização", o fenômeno que descreve uma redução significativa da integração entre os países.

O documento lembra que os crescentes questionamentos sobre os benefícios da globalização refletem uma sequência de choques macroeconômicos nos últimos anos - da crise financeira de 2008 à pandemia de covid-19.

O cenário foi amplificado pelo aumento das divergências internacionais, simbolizadas pela contraposição entre Estados Unidos e China. Dados da OMC indicam que os fluxos comerciais de bens entre diferentes blocos geopolíticos crescem em ritmo de 4% a 6% mais lento que o comércio interno entre os integrantes desses grupos.

A Organização também chama atenção para a maior concentração do comércio no planeta. A estimativa é de que o número de produtos exportados por uma média de apenas quatro países avançou de 14% em 2000 para 20% em 2021, como proporção de todas as mercadorias comercializadas.

Apesar disso, o comércio internacional segue como uma "fonte de resiliência" para a atividade econômica do planeta, afirma a OMC. Em particular, a contínua revolução digital ajuda a promover a integração econômica ao facilitar o comércio de bens e, principalmente, de serviços, ainda de acordo com o relatório.

Deixe seu comentário

Só para assinantes