Preços de alimentação e bebidas caíram pelo terceiro mês consecutivo no IPCA

As quedas nos preços dos alimentos já contribuem por três meses consecutivos para conter a inflação no País. O grupo Alimentação e Bebidas recuou 0,85% em agosto, um impacto de -0,18 ponto porcentual para a formação da taxa geral de 0,23% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Alimentação e Bebidas caiu pelo terceiro mês consecutivo", frisou André Almeida, analista do Sistema de Índices de Preços do IBGE.

O grupo Alimentação e Bebidas acumula uma queda de 1,96% nos últimos três meses de recuos. A redução na alimentação para consumo no domicílio no mesmo período foi de 3,02%.

"De maneira geral, a gente pode dizer que essa queda nos preços alimentícios tem sido influenciada por uma maior oferta desses produtos no mercado", justificou o pesquisador. "Fatores climáticos acabam contribuindo também para uma questão de aumentar a produção, aumentar a quantidade disponível no mercado."

As carnes ficaram 1,90% mais baratas em agosto. No ano, os preços já caíram 9,65%.

"As carnes estão com disponibilidade interna mais alta, então o aumento na quantidade de carne produzida no Brasil é um dos fatores que tem contribuído para essa queda nos últimos meses. Essa deflação das carnes tem sido influenciada por uma maior disponibilidade no mercado interno", explicou Almeida.

Deixe seu comentário

Só para assinantes