ANTT aprova relatórios para concessões de trechos de rodovias

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou, em Reunião Ordinária de Diretoria, nesta quinta-feira (14/9), os relatórios finais das audiências públicas que trataram das concessão das rodovias BR-153/262/GO/MG e BR-262/MG.

No relatório da BR-153/262/GO/MG, trecho que faz a ligação entre Goiânia (GO), Uberaba (MG) e Fronteira (MG), foram mais de 20 protocolos analisados pela equipe técnica da ANTT. O trecho faz parte do principal eixo de ligação das regiões Centro-Oeste e Sudeste.

Estão previstos mais de R$ 5 bilhões em investimentos e a criação de mais de 13 mil vagas de empregos diretos, indiretos e efeito-renda. Entre as melhorias previstas estão a construção de travessias urbanas, a recuperação e reforço estrutural do pavimento, além da manutenção, monitoração e ampliação de capacidade em diversos trechos. Serão 43,3 km de duplicações, 31,8 km de faixas adicionais e 4,9 km de vias marginais.

O lote a ser concedido é composto pelas rodovias BR-153/262/GO/MG, do entroncamento com a GO-219(A) em Hidrolândia e o entroncamento com a BR-262(B) na divisa do estado de Minas Gerais e o estado de São Paulo; e BR-262/MG, do entroncamento com a BR-153 até a BR-050 em Uberaba, em uma extensão total de 530,6 km.

BR-262/MG

O relatório final da audiência que tratou da concessão da rodovia BR-262/MG incluiu a análise de 50 protocolos. Estão previstos R$ 4 bilhões em investimentos e a criação de mais de 57 mil vagas de empregos diretos, indiretos e efeito-renda.

O trecho da BR-262/MG especificado no projeto fica entre o entroncamento com a BR-381(C), no município de Betim (MG); até o entroncamento com a BR-050(A)/464(A), em Uberaba (MG); com uma extensão total de mais de 430 km.

As manifestações aceitas foram incorporadas às minutas de edital e contrato, assim como aos estudos de viabilidade técnica e econômica e ao Programa de Exploração da Rodovia (PER). Agora, os documentos seguem para aprovação do Ministério dos Transportes e, depois, do Tribunal de Contas da União (TCU).

Deixe seu comentário

Só para assinantes