Foco de supervisores bancários precisa ter mais eficácia, diz BCE em relatório

Presidente do Conselho Supervisor do Banco Central Europeu (BCE), Andrea Enria afirmou hoje que, no momento em que os últimos padrões para os bancos previstos por Basileia III se tornam parte do manual de regras dos membros do G20, é preciso mudar o debate para além da calibragem de capital e ter mais foco na eficácia das ações dos supervisores.

Enria falou no fórum financeiro Eurofi 2023, organizado pela presidência espanhola do Conselho Europeu, em Santiago de Compostela, e o texto foi divulgado no site do BCE. Segundo ele, é preciso agora garantir que os bancos adotem ações corretivas para lidar com problemas identificados por supervisores. A autoridade ressaltou que é interesse dos próprios bancos enfrentar esses problemas, a fim de lidar com uma eventual queda na confiança do mercado mais adiante.

De acordo com Enria, é o momento de encerrar o capítulo de discussões sobre a implementação de Basileia III e "viver com as regras globalmente combinadas que temos". Ao mesmo tempo, ele comentou que as comparações sobre exigências de capital em diferentes jurisdições são uma tarefa "complexas", com metodologia que pode se mostrar simplista em demasia.

Ainda para a autoridade, a turbulência de março de 2023 mostrou com clareza que é do interesse dos bancos e das autoridades públicas ter foco no debate sobre como a supervisão do setor pode ser melhor posicionada.

No discurso, o italiano lembrou que esta era a última vez no evento da UE que ele estaria no posto. Ontem, a alemã Claudia Buch, vice-presidente do BC da Alemanha (Bundesbank), foi indicada pelo BCE para substituí-lo na presidência do Conselho Supervisor.