Stellantis confirma investimento de R$ 2,5 bi em fábrica no Estado do Rio até 2025

A Stellantis, dona das marcas Citroën, Fiat, Jeep e Peugeot, anunciou na sexta-feira, 22, que investirá R$ 2,5 bilhões até 2025 na fábrica da empresa na cidade de Porto Real, no Estado do Rio de Janeiro. O anúncio foi feito após uma reunião entre o presidente da Stellantis para América do Sul, Antonio Filosa, e o governador fluminense, Cláudio Castro.

No encontro, o presidente da Stellantis também apresentou ao governador e outros membros do governo o Novo SUV Citroën C3 Aircross, modelo que começa a ser produzido em breve em Porto Real.

"O Polo Automotivo Stellantis de Porto Real é estratégico para o futuro de nossa empresa e para o desenvolvimento de uma mobilidade sustentável e acessível. Suas instalações receberam importantes investimentos nos últimos anos e, além disto, os sistemas e equipamentos de produção do Polo Automotivo estão totalmente atualizados com as melhores referências tecnológicas globais da Stellantis", afirmou Filosa.

Porto Real é uma das cinco localidades da América do Sul com fábricas da Stellantis. Segundo o grupo automotivo, o montante de investimento é destinado ao desenvolvimento de novos produtos, pesquisa e modernização das instalações e sistemas e equipamentos da unidade industrial.

Desse total investido, R$ 330 milhões foram aplicados no desenvolvimento de uma variante da plataforma CMP, que dá à fábrica de Porto Real condições técnicas de produzir veículos híbridos, adotando a recém-anunciada tecnologia Bio-Hybrid.

A plataforma CMP é a base do projeto C-Cubed, que designa uma nova família de veículos composta por três modelos. O primeiro a ser lançado foi o novo Citroën C3. O próximo modelo a ser lançado será o Aircross, que foi apresentado ao governador no encontro. O terceiro modelo está em desenvolvimento e representará incremento de produção no polo nos próximos anos, segundo a empresa.

Em Porto Real desde 2001, o Polo Automotivo Stellantis recebeu, desde 2011 até o ano passado, mais de R$ 7,6 bilhões em investimentos. A fábrica demandou, no ano passado, R$ 3,3 bilhões em componentes e insumos para produzir sua linha de veículos. Cerca de 40% desta demanda foi atendida por fornecedores instalados no Estado do Rio de Janeiro.