Na China, Evergrande diz estar impossibilitada de emitir novos títulos em meio a investigação

Dois dias depois de ter anunciado o cancelamento de um programa de reestruturação de dívida, a Evergrande informou no domingo que está impossibilitada de emitir novos títulos, em mais um desdobramento da crise de liquidez que se abateu sobre a incorporadora imobiliária chinesa.

Em documento regulatório protocolado na Bolsa de Hong Kong, a empresa explicou que a subsidiária Hengda Real Estate é alvo de uma investigação da Comissão Reguladora de Valores da China por possíveis violações na normas de divulgação de informações.

Segundo a nota, essa apuração impede a emissão de novas notas.

"Os detentores de títulos da empresa e potenciais investidores da empresa são aconselhados a ter cautela ao negociar os valores mobiliários da companhia", diz a incorporadora.