Galípolo: China vive dilema entre remédios de estabilidade financeira e de ciclo econômico

O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Gabriel Galípolo, disse nesta que a China vive no momento um dilema entre os remédios a adotar para manter a estabilidade financeira e de ciclo econômico. O diretor, com sua fala, encerra o 18º Fórum de Economia coordenado pelo Centro de Estudos do Novo Desenvolvimento da FGV-EAESP.

Ele citou o momento econômico vivido pela China para embasar sua visão de mudanças no cenário internacional no que diz respeito à percepção de riscos. Galípolo disse também que sempre defendeu que, embora estivesse em curso um cenário internacional adverso, sempre defendeu que o Brasil tinha vantagens comparativas que o favorecia.

"Tínhamos um cenário mais adverso em relação ao internacional em comparação ao passado, mas o Brasil tinha vantagens comparativas", disse o diretor.

Ainda, se referindo à China, Galípolo disse que o país asiático está mudando seu polo de crescimento calcado agora em tecnologia e consumo. "A desaceleração da China é resultado de uma transição, sem representar uma ruptura", disse.

Outro dilema vivido pela China, de acordo com Galípolo, reside entre o controle do câmbio versus a internacionalização de sua moeda. "Dilema entre controle de câmbio versus internacionalização de moeda é tema para a China", reforçou o diretor.