Von der Leyen: China mantém preços baixos artificialmente, por isso abrimos investigação

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, discursou sobre desafios à inovação e para avançar no compromisso por uma economia mais verde. Um dos entraves citados por ela é a "concorrência injusta", com companhias europeias enfrentando a competição de "atores estrangeiros fortemente subsidiados".

Von der Leyen dá como exemplo o setor automotivo. Ela comenta que montadores na República Checa investem pesadamente em novas linhas de veículos elétricos, "com razão". "Este é o futuro. Mas ao mesmo tempo os mercados globais estão inundados com carros elétricos chineses. E o preço deles é mantido artificialmente baixo por grandes subsídios estatais", afirma. Por isso, a União Europeia decidiu lançar uma investigação sobre subsídios dos veículos vindos da China.

"As companhias europeias devem estar sempre prontas para a concorrência real - a concorrência em eficácia do custo e qualidade", afirmou. "Mas ela precisa ser justa. E nós protegeremos as companhias europeias da competição injusta."

A menção à República Checa ocorre também pois o discurso foi realizado durante o evento Green Deal Summit, realizado em Praga.

Deixe seu comentário

Só para assinantes