Comércio marítimo caiu 0,4% em 2022, mas deve crescer 2,3% em 2023, diz Unctad

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad, na sigla em inglês) informou que o comércio marítimo caiu 0,4% em 2022, mas deverá crescer 2,3% em 2023. Segundo relatório divulgado nesta quarta-feira, 27, entretanto, o transporte continua a enfrentar múltiplos desafios, incluindo o aumento da política comercial e das tensões geopolíticas, além de estar lidando "com mudanças nos padrões de globalização".

O órgão também chama atenção para as maiores distância percorridas por petroleiros, impulsionadas pela guerra da Ucrânia. "O petróleo bruto e os produtos refinados percorreram distâncias maiores, à medida que a Federação Russa procurava novos mercados de exportação para a sua carga e a Europa procurava fornecedores de energia alternativos."

A Unctad ainda destaca que, embora os embarques de cereais da Ucrânia tenham retomado em 2022 graças à Iniciativa do Mar Negro, diversos países importadores tiveram de contar com exportadores de cereais alternativos, incluindo os Estados Unidos e Brasil, o que exige viagens mais longas.

O relatório também aponta que cumprir as metas estabelecidas sobre a redução das emissões de gases do efeito estufa dos navios continua a ser um desafio. "A indústria naval enfrenta incertezas na determinação da forma mais eficaz de reduzir as emissões de carbono e fazer a transição para combustíveis com baixo ou zero carbono."