Após feriado local, dólar sobe com cautela geopolítica, CPI dos EUA e China

O dólar oscila em alta nos primeiros negócios no mercado de câmbio nesta sexta-feira, 13, mas a queda dos juros dos Treasuries e alta de mais de 3% do petróleo no período da manhã limitam os ajustes após o feriado local da quinta-feira.

"O dólar comercial opera em alta em função de uma correção técnica depois do feriado no Brasil, diante da valorização externa da divisa americana, ontem, em reação à inflação ao consumidor (CPI) dos Estados Unidos em setembro, acima das expectativas dos analistas, o que reacende a possibilidade de uma nova alta dos juros americanos em dezembro", afirma o diretor Jefferson Rugik, da corretora Correparti.

Nos EUA, o CPI avançou 0,4% no mês passado ante o anterior, enquanto a mediana dos analistas consultados pelo Projeções Broadcast era de alta menor, de 0,3%. Na comparação anual, o índice também subiu além do esperado, avançando 3,7% ante expectativa de 3,6%.

Os dados provocaram um aumento na chance de alta nos juros em dezembro, mas no fim da tarde era majoritária a possibilidade de manutenção, em 86,2% no monitoramento do CME Group.

Além disso, segundo Rugik, pesam também preocupações com os efeitos inflacionários e na política monetária global da valorização do petróleo, que avançava perto de 4% há pouco por temor sobre a oferta da commodity, em meio à escalada do conflito entre Israel e o Hamas.

Na China, diz o diretor, a inflação ao consumidor ficou estável em setembro, e a queda nas importações e exportações chinesas no mês passado, embora melhor que as projeções de analistas, realimentam ainda cautela quanto à recuperação da segunda maior economia mundial.

Às 9h20, a moeda norte-americana subia 0,36%, a R$ 5,0680, nos negócios à vista. O dólar para novembro ganhava 0,34%, a R$ 5,0810.

Deixe seu comentário

Só para assinantes