Tesouro confirma captação de US$ 2 bi em bonds sustentáveis à taxa de 6,375%

O Tesouro informou nesta quinta-feira, 20, que captou US$ 2 bilhões em bonds com compromissos ambientais e sociais, com vencimento em 22 de janeiro de 2032. Os bonds foram colocados oferecendo ao investidor uma taxa de retorno de 6,375%, como antecipou o Broadcast. O título sustentável tem cupom semestral de juros de 6,125% a.a., cujo primeiro pagamento será realizado em 22 de janeiro de 2025.

De acordo com o órgão, o spread da operação ficou em 212.80 pontos-base acima da Treasury (título do tesouro norte-americano) de referência. A emissão foi realizada ao preço de 98,510% do seu valor de face.

A emissão, segundo o Tesouro, atraiu interesse significativo de investidores, com um ápice de 219 ordens no livro de ofertas. A demanda superou largamente o volume emitido, com o livro de ordens em cerca de US$ 4,7 bilhões. A alocação final contou com ampla participação de investidores não residentes, sendo cerca de 77% oriundos da Europa e da América do Norte. A América Latina, incluindo o Brasil, respondeu por 14%.

Esta é a segunda captação feita pelo governo brasileiro no exterior com bonds sustentáveis. A primeira aconteceu em novembro do ano passado, quando o Tesouro também levantou US$ 2 bilhões desses bonds com vencimento em 2031. Na ocasião, o retorno ao investidor foi de 6,45%.

De acordo com o Tesouro, a nova emissão reforça o importante papel da dívida externa para o alongamento do prazo médio da dívida, diversificação e ampliação da base de investidores. "Adicionalmente, corrobora o papel da Dívida Pública Federal externa no estabelecimento de benchmarks líquidos e na curva de juros soberana, como referência para futuras emissões de empresas brasileiras no exterior, em particular para prazos em torno de 7 anos, horizonte em que se concentram as captações de recursos por companhias privadas", diz em nota.

O órgão informou ainda que a alocação dos recursos após a emissão será dividida em áreas ambientais e sociais, como antecipou o Broadcast(sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado). De acordo com o intervalo indicativo, para ambiental, haverá um limite inferior de 50% e superior de 60%. Já para o social, o limite inferior será de 40% e o superior de 50%.

"Ao dar continuidade nas emissões de títulos públicos sustentáveis, a gestão da Dívida Pública Federal reforça o compromisso da República de assegurar a sustentabilidade ambiental, ao mesmo tempo em que implementa políticas e iniciativas que visam melhorar a qualidade de vida da população e promover a inclusão social", reitera o Tesouro.

A emissão foi coordenada pelos bancos Bank of America, Goldman Sachs e HSBC. A liquidação financeira ocorrerá em 27 de junho de 2024.