IPC-M cai 0,10% na 1ª prévia de julho, após alta de 0,37% em junho, afirma FGV

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) recuou 0,10% na primeira prévia de julho, ante alta de 0,37% na mesma leitura de junho, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Nesta leitura, seis das oito classes de despesas desaceleraram: Alimentação (0,73% para -0,63%), Habitação (0,44% para -0,05%), Educação, Leitura e Recreação (0,20% para -0,23%), Vestuário (0,34% para -0,25%) Saúde e Cuidados Pessoais (0,39% para 0,27%) e Comunicação (0,16% para 0,01%).

Por outro lado, houve aceleração em Despesas Diversas (0,07% para 0,19%) e Transportes (0,10% para 0,15%).

Influências

As maiores influências para baixo na primeira prévia do IPC-M de julho partiram de tomate (0,16% para -14,19%), mamão papaia (-1,43% para -17,09%), passagem aérea (1,68% para -1,74%), cenoura (1,68% para -16,39%) e banana-prata (-7,64% para -7,12%).

Na outra ponta, puxaram o índice para cima gasolina (0,20% para 0,36%), automóvel novo (0,23% para 0,63%), refeições em bares e restaurantes (1,35% para 0,52%), plano e seguro de saúde (0,66% para 0,36%) e seguro facultativo para veículo (-1,88% para 1,63%).