Taxas futuras de juros caem em toda curva após IPCA mais fraco que o previsto

Os juros futuros recuam em toda a curva e renovam mínimas sucessivas, em linha com o dólar e retorno dos Treasuries, e após o IPCA de junho ficar abaixo do piso das estimativas. O índice de preços ao consumidor fechou junho em 0,21%, ante 0,46% em maio, abaixo do piso das estimativas (0,27%). O IPCA acumulado em 12 meses ficou em 4,23%, também abaixo do piso das previsões (4,25%).

Às 9h15 desta quarta-feira, 10, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2026 cedia para 11,050%, de 11,187% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2027 caía para 11,325%, de 11,472%, e o para janeiro de 2029 recuava para 11,720%, de 11,844%. O dólar à vista tinha queda de 0,16%, a R$ 5,4060. O juro da T-note de 10 anos caía a 4,274% (de 4,294%).