Taxas futuras de juros renovam máximas com dólar e após varejo forte

Os juros futuros avançam na manhã desta quinta-feira, 11, especialmente os médios e longos, renovando máximas com o dólar e em linha com os retornos dos Treasuries antes da divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI) dos Estados Unidos (9h30). Os curtos operam praticamente estáveis, mas com viés de alta após as vendas do comércio varejista subirem 1,2% em maio ante abril, superando o teto das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 2,0% a alta de 0,7%, com mediana negativa de 0,5%.

Às 9h13, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2026 subia para 11,125%, de 11,074% do ajuste anterior. O DI para janeiro de 2027 ia para 11,380%, de 11,312%, e o vencimento para janeiro de 2029 avançava para 11,700%, de 11,646% no ajuste anterior. O juro da T-note de 10 anos avançava a 4,292% (de 4,281%). O dólar à vista subia 0,13%, para R$ 5,4194.