Topo

Em busca de reversão do impeachment, Dilma indicará que vai manter equipe econômica de Temer

14/07/2016 07h42

SÃO PAULO - Em entrevista para a Rádio Capital, de São Paulo, na última terça-feira, a presidente afastada Dilma Rousseff fez um discreto elogio ao atual ministro da Fazenda, ao falar que Henrique Meirelles "é uma pessoa competente na área dele" e que não considera que ele "representa este governo [Temer] como um todo".

E, conforme a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, o elogio foi calculado. Isso porque Dilma tem sido fortemente orientada a sinalizar que manterá a equipe econômica de Temer caso reassuma o poder, através de acenos que estão sendo feitos aos poucos. 

Dilma, para voltar,  mandará recados de mudanças também no time político. De acordo com a coluna, a tática é vender um projeto de governabilidade, inclusive com menos PT nos postos de comando. A coluna da Folha destaca que o elogio teve endereço certo: autoproclamado indeciso, Cristovam Buarque (PPS-DF), já disse querer ver a equipe econômica mantida.  Porém, a chance de reversão a seu favor no Senado, porém, ainda é vista como remota. 

Em entrevista ontem para a  Rádio Itatiaia de Belo Horizonte,  Dilma disse que irá ao plenário do Senado fazer sua defesa no processo de impeachment.  Na comissão que analisa as denúncias contra ela, a defesa de Dilma foi feita por seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, que leu um texto da petista.

“Não fui à comissão porque ali não estão todos os senadores. E eu preciso do voto do conjunto dos senadores”, justificou. Dilma disse que considera o momento duro. “Ao mesmo tempo, acredito muito na minha volta. Estou lutando para persuadir o Senado das razões que estão do meu lado”, disse a presidente afastada.

Mais Economia