Bolsas

Câmbio

Mantega deveria ter sido preso antes, mas Olimpíada adiou operação da PF

SÃO PAULO - Preso e solto nesta quinta-feira (22), o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega poderia ter ido para a prisão no mês passado, mas a realização dos Jogos Olímpicos acabou adiando a operação da Polícia Federal deflagrada hoje. A força-tarefa que cuida da fase denominada Arquivo X, a 34ª da Lava Jato, pediu a prisão de Mantega ainda em julho.

No dia 16 de agosto, o juiz Sérgio Moro mandou prender o ex-ministro em caráter temporário, por cinco dias. O que aconteceu é que havia uma grande mobilização dos agentes da PF na época por causa da Olimpíada, o que não permitiu a execução da operação nesta data. Com isso, a 34ª fase da Lava Jato foi adiada para esta quinta-feira, dia 22 de setembro, com  180 policiais federais indo às ruas em cinco estados e no Distrito Federal.

Nesta manhã a Polícia Federal  foi até a casa de Mantega, que não estava no local. Ele acompanhava a mulher no hospital Albert Einstein, onde ela passa por uma cirurgia. De lá, os policiais levaram o ex-ministro para a sede da PF em São Paulo.  Posteriormente, Mantega teve o mandado de prisão revogado pelo juiz Sérgio Moro.

"Infelizmente, situações e coincidências como esta são tristes, mas não há como não se cumprir uma ordem judicial", disse o procurador regional da República, Carlos Lima. "Que se deixe claro que esse pedido do Ministério Público Federal ocorreu em julho de 2016. A decisão é de agosto 2016. Só não foi cumprida (a ordem de prisão) por circunstâncias operacionais em decorrência da Olimpíada. O evento no hospital foi uma coincidência infeliz, apenas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos