IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Bradesco e Ambev têm ganhos na véspera a divulgação dos balanços

24/07/2019 14h25

Na quarta-feira, antes da abertura dos mercados, será a vez da Ambev (SA:ABEV3) e do Bradesco (SA:BBDC4) divulgarem os resultados do segundo trimestre do ano. As expectativas são distintas, com o mercado ainda esperando dificuldades a fabricante de bebidas em um cenário de lenta retomada econômica. Já para o banco, o mercado espera por mais um resultado positivo.

Na espera dos números, as ações da Ambev registram ganhos de 0,22% a R$ 18,07, enquanto Bradesco soma 0,97% a R$ 38,62.

Confira as expectativas:

- Ambev

O consenso de mercado aponta que a fabricante de bebidas deve encerrar o trimestre com lucro líquido por ação de R$ 0,15, sendo que um ano antes o resultado foi de R$ 0,14, abaixo dos R$ 0,15 que eram esperados na época. Já entre janeiro e março deste ano, o resultado foi de R$ 0,17, também abaixo dos R$ 0,18 esperados.

Para a receita do período, a aposta é de R$ 11,78 bilhões, contra R$ 11,51 bilhões do mesmo trimestre do ano passado, quando eram esperados R$ 11,16 bilhões. Já nos três primeiros meses de 2019, o resultado foi de R$ 12,64 bilhões, contra R$ 12,77 esperados.

Para o BTG Pactual (SA:BPAC11), que tem recomendação Neutra para os ativos da Ambev, o segundo trimestre deve trazer lucro líquido de R$ 2,673 bilhões para a companhia, com faturamento de R$ 12,094 bilhões. No mesmo período do ano anterior, os números foram, respectivamente, de R$ 2,386 bilhões e R$ 11,510 bilhões. Assim, o Ebitda de abril a junho de 2019 deve ser de R$ 4,603 bilhões e margem de 38%, contra R$ 4,534 bilhões de um ano antes.

- Bradesco

O mercado projeta que o segundo maior banco privado brasileiro feche o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 0,79 para cada ação, sendo que um ano antes o resultado foi de R$ 0,77 em um momento que o esperado era R$ 0,75. Entre janeiro e março deste ano, o lucro foi de R$ 0,77, abaixo dos R$ 0,79 esperados.

Já a receita do Bradesco do trimestre deve atingir R$ 25,8 bilhões, contra R$ 25,41 bilhões de um ano atrás, quando a expectativa era de R$ 24,9 bilhões. Já na abertura de 2019, as receitas foram de R$ 25,2 bilhões, acima dos R$ 24,92 bilhões esperados.

A recomendação do BTG é de compra, com os analistas esperando lucro líquido de R$ 6,414 bilhões, mas sem apresentar perspectivas para as receitas e Ebitda. No mesmo período do ano passado, o resultado foi de R$ 5,161 bilhões de R$ 6,238 bilhões entre janeiro e março de 2019.

Economia