PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Vale e siderúrgicas caem com retomada de Vargem Grande derrubando minério

24/07/2019 12h13

Na reta final da manhã desta quarta-feira, as ações da Vale (SA:VALE3) e das principais siderúrgicas operam com desvalorização, em um cenário de nova queda nos preços do minério de ferro, que chegaram a cair quase 5% com as notícias de que a mineradora recebeu autorização para retomar parcialmente as operações de seu complexo de Vargem Grande.

Com isso, as ações da Vale caem 1,70% a R$ 50,88, enquanto as da Bradespar (SA:BRAP4) recuam 2,34% a R$ 32,10. Entre as siderúrgicas, a CSN (SA:CSNA3) cai 3,81% a R$ 16,43, com Usiminas (SA:USIM5) recuando 2,42% a R$ 8,88. Já a Gerdau (SA:GGBR4) cede 0,78% a R$ 13,95.

A quarta-feira, pela sexta vez consecutiva, os contratos futuros do minério de ferro tiveram uma sessão de queda na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento em setembro do atual calendário, teve perdas de 2,66% a 860,00 iuanes por tonelada, o que representa variação diária de 23,50 iuanes.

Na bolsa de mercadorias de Xangai, também na china, a sessão também foi novamente marcada pela desvalorização dos papéis futuros do vergalhão de aço. O contrato mais líquido, com data de entrega para outubro deste ano, cedeu 50 iuanes para 3.899 iuanes por tonelada. Já o de janeiro de 2020, o segundo mais líquido, caiu 46 iuanes para 3.684 iuanes por cada tonelada.

Vargem Grande

A Agência Nacional de Mineração (ANM) autorizou o retorno parcial das operações a seco do complexo de produção de minério de ferro de Vargem Grande, em Minas Gerais, o que permitirá produção adicional de 5 milhões de toneladas em 2019 para a Vale.

As operações de todo o complexo haviam sido interditadas em 20 de fevereiro, por determinação da ANM, visando prevenir eventuais gatilhos que pudessem comprometer a estabilidade das barragens da unidade, na esteira do desastre de Brumadinho (MG).

Segundo a Vale, a autorização incrementará a oferta do minério do tipo Brazilian Blend Fines (BRBF), mas a companhia manteve seu guidance de vendas de minério de ferro e pelotas de 307-332 milhões de toneladas em 2019, acrescentando que a expectativa atual é que as vendas se situem ao redor do centro da faixa.