IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Preços do petróleo se recuperaram, cabo de guerra entre touros e ursos continuam

25/07/2019 09h15

O petróleo se recuperou na quinta-feira, recuperando a maior parte do declínio do dia anterior, com os investidores se opondo aos preços, mas analistas alertaram que as preocupações com a demanda por petróleo prevaleceriam sobre outros fatores de alta, como as tensões no Oriente Médio.

Os contratos futuros do petróleo West Texas Intermediate (WTI) negociados em Nova York ganhavam 84 centavos, ou 1,5%, para US$ 56,72 o barril às 8h54, enquanto futuros do petróleo Brent, referência para os preços do petróleo fora dos EUA, eram negociados em alta de 92 centavos, ou 1,5%, para US$ 64,10.

O petróleo bruto fechou a quarta-feira com um declínio de 1,6%, apesar de uma queda de quase 11 milhões de barris em estoques dos EUA. Normalmente, um fator de alta, os analistas atribuíram o rebaixamento maior do que o esperado à precipitação causada pelo furacão Barry, que forçou a paralisação de mais da metade da produção regular de petróleo de plataformas nos EUA no Golfo do México por pelo menos dois dias.

"Os sinais de que a demanda por petróleo enfraquecerá no futuro estão aumentando e estão desempenhando um papel crucial na manutenção dos preços do petróleo deprimidos no mercado hoje", disse Ellen Wald, presidente da Transversal Consulting e contribuinte da Investing.com.

Wald apontou para o fato de que a Agência Internacional de Energia recentemente cortou sua previsão de crescimento da demanda por petróleo devido à desaceleração da economia global, enquanto a Reuters informou que a consultoria de energia FGE também reduziu o crescimento da demanda global de petróleo em 2019 entre uma série de revisões recentes.

Uma série de leituras do índice do gerente de compras nos EUA e a Europa, que era mais fraca do que o esperado, só serviu para aumentar a sombria perspectiva econômica.

"Indicadores macroeconômicos e falta de otimismo de que a guerra comercial entre os EUA e a China será resolvida são os principais fatores que impulsionam o sentimento do mercado e superam as preocupações de que o fornecimento de petróleo do Oriente Médio possa ser interrompido ", disse Wald.

Ela acrescentou que o fluxo de petróleo bruto através do Estreito de Ormuz ainda não foi afetado pelas tensões entre o Irã e o Ocidente e concluiu que "o risco geopolítico já foi precificado no mercado de petróleo".

Em outras negociações de energia, os contratos futuros de gasolina avançavam 1,3%, para US$ 1,8797 o galão, às 8h59, ao passo que o óleo de aquecimento subia 0,8%, para US$ 1,9247 o galão.

Por fim, os contratos futuros de gás natural avançavam 0,5%, para US$ 2,232 por milhão de unidades térmicas britânicas.

- Reuters contribuiu com esta matéria


Mais Economia