PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

ABERTURA: Ibovespa futuro abre em queda com cena externa fraca

30/07/2019 09h06

O índice futuro do Ibovespa abre a jornada desta terça-feira com queda de 0,48% aos 103.400 pontos, em dia negativo para os mercados de ações na Europa e para os índices futuros de Wall Street sob influência de indicadores econômicos fracos na Europa. As atenções dos investidores estão voltadas para a temporada local de balanços, para a disputa comercial entre Estados Unidos e China e também para o início das reuniões do Copom e do Fomc.

O dólar iniciou a jornada estável. A moeda americana é cotada a R$ 3,7790, após fechar em R$ 3,7814 na sessão anterior.

Na agenda doméstica, o IGP-M desacelerou a alta a 0,40% em julho contra avanço de 0,80% no mês anterior, informou nesta terça-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

O Federal Reserve inicia nesta terça-feira dois dias de reunião, com a expectativa de que reduza os juros em 0,25 ponto percentual. Se implementado, será o primeiro corte de juros pelo banco central dos EUA em uma década.

Também no foco estão as negociações comerciais entre EUA e China que começarão em Xangai nesta terça-feira, embora as expectativas de avanço sejam baixas, com os mercados esperando que os dois lados possam ao menos detalhar compromissos para gestos de "boa vontade". Além disso, o presidente Donald Trump voltou a criticar os chineses no Twitter, devido às compras agrícolas chinesas de produtores americanos ter atingido o menor nível em 27 anos em junho. Uma das promessas dos chineses para alívio comercial com os americanos era o aumento de aquisição de commodities agrícolas dos agricultores americanos.

O banco central do Japão evitou aumentar o estímulo nesta terça-feira, mas comprometeu-se em fazer isso "sem hesitação" se a desaceleração global prejudicar a recuperação econômica do país.

As crescentes consequências da guerra comercial entre Estados Unidos e China levaram os principais bancos centrais a sinalizarem mais afrouxamento monetário e isso colocou pressão sobre o Banco do Japão, que tem bem menos munição para lidar com uma contração significativa.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,43%, a 21.709 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,14%, a 28.146 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,39%, a 2.952 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,42%, a 3.870 pontos.

A sessão desta terça-feira se mostra negativa para a grande parte dos mercados de ações da Europa. Em Frankfurt, o DAX recua 2,04% aos 12.164 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE perde 0,15% aos 7.674 pontos. Já em Paris, o CAC cede 1,32% aos 5.527 pontos.

COMMODITIES

Nesta terça-feira na bolsa de mercadorias de Dalian, na China, o dia foi marcado por importante valorização nos contratos futuros do minério de ferro. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento em setembro deste ano, somou 2,32% para um total de 906,00 iuanes por tonelada, o que representa uma variação diária de 20,50 iuanes.

Por outro lado, na também bolsa chinesa de mercadorias de Xangai, a jornada teve como característica a queda nos preços dos papéis futuros do vergalhão de aço. O contrato de maior liquidez, com entrega para o mês de outubro do atual calendário, as perdas foram de 21 iuanes para 3.886 iuanes por tonelada. Já os de janeiro de 2020, segundo em volume, caíram 20 iuanes para 3.651 iuanes por tonelada.

Já para os preços internacionais do petróleo, o dia se mostra positivo para os preços. O barril do tipo WTI, referência negociada em Nova York, soma 0,70%, ou US$ 0,40, a US$ 57,27. Já em Londres, o FTSE avança 0,82%, ou US$ 0,52, a US$ 64,14.

MERCADO CORPORATIVO

- Petrobras (SA:PETR4)

A Petrobras informou nesta terça-feira que as ofertas de recompra de títulos Waterfall e Any-and-All alcançaram o montante total de 2,69 bilhões de dólares.

A oferta Waterfall, encerrada em definitivo na segunda-feira, levou à recompra por meio da subsidiária Petrobras Global Finance de títulos no valor equivalente a 1,85 bilhão de dólares, afirmou a companhia em comunicado

- Cadastro Positivo

O governo concluiu nesta segunda-feira a regulamentação necessária para a implementação do cadastro positivo no país, informou o Banco Central, acrescentando que a expectativa é que a plena efetividade da medida ajude a diminuir a assimetria de informações no mercado de crédito e o sobreendividamento, com possível redução nas taxas de juros cobradas.

Com o novo modelo de operação do cadastro, a formação do histórico de crédito passa a abarcar todas as informações do sistema financeiro e também ados sobre adimplência no pagamento de serviços públicos, como luz e água. Os usuários que não quiserem que seus dados sejam utilizados precisarão solicitar sua saída.

- Itaú Unibanco (SA:ITUB4)

O Itaú Unibanco teve alta de 10,2 por cento no lucro recorrente do segundo trimestre, a 7,034 bilhões de reais, apoiado em crescimento da carteira de crédito e ganhos com operações de tesouraria.

O grupo financeiro também anunciou um programa de demissão voluntária envolvendo todas as suas companhias no Brasil, mas não informou o montante de adesões que pretende obter. O programa vai ficar aberto a interessados durante o mês de agosto.

O conglomerado terminou junho com 98.446 funcionários, uma queda de cerca de 1,5 por cento sobre um ano antes. No Brasil, o número de trabalhadores do grupo era de 85.161 no final do segundo trimestre.

O resultado recorrente do maior banco privado do Brasil ficou praticamente em linha com a média de expectativas de analistas, de 6,977 bilhões de reais, segundo dados da Refinitiv.

- Multiplan (SA:MULT3)

A Multiplan teve lucro líquido de cerca de 115 milhões de reais para o segundo trimestre, uma baixa de quase 21 por cento sobre o desempenho de um ano antes, informou a administradora de shopping centers nesta segunda-feira.

A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 214 milhões de reais entre abril e junho, queda de 16,8 por cento na base anual. Analistas, em média, esperavam Ebitda de 224,4 milhões de reais, segundo dados da Refinitv.

A Multiplan afirmou que a queda no lucro líquido ocorreu "principalmente devido ao aumento da depreciação decorrente da aquisição de participação no BH Shopping, e do impacto nas despesas de remuneração baseada em ações".

- Aliansce (SA:ALSC3)

A administradora de shoppings center informou na noite de ontem que encerrou o segundo trimestre de 2019 com lucro líquido de R$ 37,310 milhões, sendo que no mesmo período do ano passado o resultado havia sido de R$ 25,037 milhões, o que representa ganhos de 49%. No acumulado do ano, o avanço é de 107,1%, indo de R$ 31,433 milhões para R$ 65,099 milhões.

Entre abril e junho deste ano, a companhia teve receitas líquidas de R$ 145,734 milhões, alta de 10,9% ante dos R$ 131,363 milhões registrados no mesmo período de 2018. Já no primeiro semestre, o resultado foi de R$ 282,294 milhões, avanço de 9,4% ante os R$ 261,752 milhões de um ano antes.

Com isso, o Ebitda ajustado da Aliansce foi de R$ 107,091 milhões no trimestre, salto de 9,6% ante os R$ 97,743 milhões do mesmo período do ano passado. Desta forma, a margem Ebitda ajusta recuou de 75% para 74,8% na comparação anual. No acumulado de 2019, o Ebitda é de R$ 198,083 milhões e margem 70,6%, sendo que nos seis primeiros meses do ano passado foi de R$ 183,041 milhões com margem também de 70,6%.

- Energia Elétrica

A estatal paulista Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae) vai buscar parcerias para tentar viabilizar um projeto termelétrico bilionário no próximo leilão de energia do governo federal, o chamado A-6, agendado para 17 de outubro.

Já há conversas com possíveis interessados, incluindo fundos de investimento, após o empreendimento, o chamado Bloco I da térmica Piratininga, ter obtido licença ambiental prévia junto aos órgãos estaduais de licenciamento, disse à Reuters o presidente da Emae, Ronaldo Souza Camargo.

O projeto a gás natural, com 1,7 gigawatt em capacidade, deve demandar cerca de 1,7 bilhão de dólares em investimentos. Ele envolveria a substituição de unidades da antiga térmica Piratininga, na capital paulista, que funcionava a diesel e está parada.

AGENDA DE AUTORIDADES

O presidente Jair Bolsonaro se reúne na parte da manhã com Rodrigo Maia, Presidente da Câmara dos Deputados; e Deputado Fábio Faria (PSD/RN) e, logo em seguida com a Comissão de Ética Pública. Ele recebe ainda Deputado Coronel Chrisóstomo (PSL/RO); Onyx Lorenzoni, Ministro-Chefe da Casa Civil e Osmar Terra, Ministro da Cidadania. A manhã chega ao fim com reunião com Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, Presidente da Firjan.

Na parte da tarde, participa da 17ª Reunião do Conselho de Governo e depois da Cerimônia de Revisão e Modernização das Normas Regulamentadoras da Saúde e Segurança do Trabalho. O dia chega ao fim com reunião com Wagner de Campos Rosário, Ministro de Estado da Controladoria-Geral da União.

A terça-feira do ministro da Economia, Paulo Guedes, começa com reunião de Governança com os presidentes do BNDES, CAIXA e Banco do Brasil (SA:BBAS3) e, em seguida com o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa.

Na parte da tarde, participa da Reunião do Conselho de Governo e também da Cerimônia de Revisão e Modernização das Normas Regulamentadoras da Saúde e Segurança do Trabalho. Mais tarde, tem reuniões com o Secretário Especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho e com o Secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercado, Salim Mattar.

*Reuters contribuiu com essa matéria