PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ações - Wall Street sobe levemente antes dos cortes de taxa esperados

31/07/2019 14h39

Wall Street estava levemente em alta nesta quarta-feira, antes do esperado corte de juros pelo Federal Reserve no final do dia.

Uma redução de, pelo menos, um um quarto de ponto às 15h00 está cotada, com os investidores focados na conferência de imprensa do presidente do Fed, Jerome Powell, conferência de imprensa meia hora depois, buscando mais pistas sobre mais flexibilização.

"É o dia do Fed e os investidores vão considerar a linguagem do comunicado já que um corte de 25 pontos-base já é esperado", disse Peter Cardillo, economista-chefe de mercado da Spartan Capital Securities, em Nova York.

O Dow ganhava 70 pontos ou 0,3% até 10h41, enquanto o S&P 500 subia 1 ponto ou 0,1%, e o índice de tecnologia NASDAQ Composite ganhava 15 pontos ou 0,2%.

Entre os ganhadores proeminentes, a Apple (NASDAQ:AAPL) subia 5%, atingindo a alta de 2019, após seus ganhos superarem as estimativas, devido ao forte desempenho de seus negócios não relacionados ao iPhone. A Electronic Arts (NASDAQ:EA) ganhava 7,9% após fortes resultados do primeiro trimestre fiscal, enquanto a General Electric (NYSE:GE) avançava 0,9% após reportar uma perspectiva melhor para fluxo de caixa.

A Tesla (NASDAQ:TSLA) subia 1,1%, enquanto a Beyond Meat (NASDAQ:BYND) subia 3,3%, colocando um fim rápido na venda feita na terça-feira quando anunciou sua intenção para vender mais 3,25 milhões de ações.

Em outros lugares, o Spotify (NYSE:SPOT) caía 4,1% após registrar uma perda maior do que o esperado, resultado do crescimento dos assinantes pagos, que ficaram abaixo das previsões. A Advanced Micro Devices (NASDAQ:AMD) caía 8,1% após um alerta de queda de lucros, que veio por conta de outra atualização cautelosa da gigante da indústria Samsung (KS:005930) durante a noite. Outros no setor caíam por aproximação, com a Micron (NASDAQ:MU) caindo 2,5% e a NVIDIA (NASDAQ:NVDA) caindo 1,9%.

Em commodities, o petróleo bruto subia 0,5%, para US$ 58,34 por barril, enquanto contratos futuros do ouro ganhavam 0,1%, para US$ 1.431,40 por onça-troy. O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, permanecia estável em 97,822.

-- Reuters contribuiu com esta matéria