IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Ativa Investimentos atualiza carteira de agosto trocando Vale por BRF

01/08/2019 16h02

A Ativa Investimentos divulgou na manhã desta quinta-feira a atualização de sua carteira Strategy para agosto, realizando apenas uma substituição. Deixam o portfólio os papéis da Vale (SA:VALE3) para dar entrada para os da BRF (SA:BRFS3). A opção também foi diminuir o peso de Suzano (SA:SUZB3) e aumentar de Pão de Açúcar (SA:PCAR4).

Em julho, a principal carteira da corretora teve queda de 1,3% frente à valorização de 0,84% do Ibovespa. Os principais destaques para BR Malls (SA:BRML3) (positivo), com alta de 6% e Suzano (negativo), com perdas de 7%

No caso da BR Malls, dada a iminência da queda na taxa de juros, o papel se beneficia quanto ao potencial de aumento de consumo dos clientes e na costura de contratos de longo prazo, como as atuais dívidas assim como novos contratos com inquilinos.

Desta forma, a empresa tem uma maior flexibilidade para readequar seu rol de produtos e assim, angariar mais clientes de varejo como interessados em seu portfólio de empreendimentos. O papel verificou alta no fim do mês devido ao surgimento de uma transação que envolve a venda de 7 de seus empreendimentos, o que poderia ajudar a condensar e otimizar a operação da empresa.

Já a Suzano foi impactada devido à queda do preço da celulose no mercado internacional. A commodity encontra-se perto de seu valor mínimo histórico. Ademais, estoques elevados e vendas ainda pressionadas dado o cenário de desaceleração global fizeram a cotação do ativo ser impactada.

Assim, a corretora acredita que mesmo a Suzano, empresa que sempre praticou estratégia de preços e não volume, talvez precise repensar seu modus operandi ao menos no curto prazo, dado a iminência de pressão sob as margens da companhia.

Composição: Petrobras (SA:PETR4) (10%), Itaú Unibanco (SA:ITUB4) (10%), Equatorial (SA:EQTL3) (15%), Suzano (5%), Cemig (SA:CMIG4) (10%) BR Malls (15%), BRF (10%), Usiminas (SA:USIM5) 10%), Pão de Açúcar (15%).

Dividendos

Já a Carteira Dividendos teve alta de 0,9% frente à valorização de 0,8% do Ibovespa. O destaque positivo da carteira fica B3, com ganhos de 13% e o negativo para Petrobras, com queda de 5%.

Para o próximo mês a opção foi pela manutenção da carteira, exceto pelo rebalanceamento dos pesos dos ativos.

Composição: Itaú Unibanco (20%) Klabin (SA:KLBN11) (10%), Equatorial (15%), BR Malls (15%), B3 (10%), Petrobras (15%), Taesa (SA:TAEE11) (15%).

Economia