IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Banco da Inglaterra mantém taxas de juros em meio à paralisia do Brexit

01/08/2019 09h20

O Banco da Inglaterra deixou a taxa básica de juros inalterada nesta quinta-feira, como esperado, optando por guardar seus cartuchos até ter mais clareza sobre como a saída do Reino Unido da União Europeia vai afetar a economia.
O Comitê de Política Monetária do Banco, por unanimidade, manteve a taxa do banco em 0,75%, embora tenha rebaixado suas hipóteses de crescimento para este ano e para o próximo, em um tom que chamou de incertezas mais "entrincheiradas" sobre o Brexit, que atingiram a confiança e o investimento nos negócios.
A decisão do BoE veio apenas algumas horas depois que a pesquisa mensal da IHS Markit sobre o setor industrial do Reino Unido descobriu que a produção se contraiu no ritmo mais rápido desde julho de 2012.
O economista da IHS Markit, Rob Dobson, disse que o setor está "sufocando com o crescimento mais lento da economia global, a incerteza política e o desenrolar da atividade de armazenamento antes do Brexit".
A decisão deixou a libra inalterada em torno de US$ 1,2110 contra o dólar inicialmente. A moeda britânica caiu para seu nível mais baixo desde janeiro de 2017, antes da decisão do banco, e perdeu quase 4% no mês passado, com a perspectiva de um "Brexit duro" aumentando, um desenvolvimento com o qual o banco concordou em seu comunicado.
O rendimento do bônus de 10 anos do Tesouro inglês de referência, ou gilt, subiu ligeiramente de 0,60% para 0,62% no início do dia, um nível que o país atingiu imediatamente após o referendo de 2016 sobre a saída da UE.
As ações do Reino Unido também estavam pouco alteradas, com o FTSE 100 caindo para 7561,91 às 8h25. O índice havia caído cerca de 0,3% no início do dia em meio a uma venda generalizada de ações de commodities pesadas, um movimento que foi em grande parte uma resposta ao corte da taxa de juros do Federal Reserve na quarta-feira.
Em um discurso na semana passada, o economista-chefe do banco, Andy Haldane, alertou contra a elevação das taxas de juros antes da data do Brexit.
"Os formuladores de políticas monetárias são frequentemente escolhidos como golfistas de um só clube. Na atual conjuntura, o problema é mais que o MPC não sabe qual dos dois campos bem diferentes ele deve estar mirando ", disse Haldane em seu discurso.
"Com o caminho econômico à frente potencialmente bifurcando, o argumento para manter as taxas até que a estrada se torne mais clara é forte."

Economia