IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Charge: Powell decepciona os mercados com corte da taxa de juros hawkish

01/08/2019 10h59

Por Jesse Cohen
O Federal Reserve continuou sendo a principal notícia dos mercados financeiros nesta quinta-feira, depois que o presidente Jerome Powell deu um tom mais agressivo do que o esperado em sua conferência de imprensa, agitando os mercados financeiros.
O banco central dos EUA cortou as taxas de juros pela primeira vez em mais de uma década nesta quarta-feira, diminuindo a meta de fundos do Fed em 25 pontos-base, citando "desenvolvimentos globais" juntamente com "inflação moderada".
No entanto, Powell desapontou os investidores dizendo que o movimento amplamente antecipado era um "ajuste de ciclo intermediário à política", em vez de "o começo de um longo ciclo de corte".
Ao mesmo tempo, ele disse: "Eu não disse que é apenas um corte de taxa".
Em uma série de posts no Twitter, o presidente Donald Trump disse que Powell "nos decepcionou" por não sinalizar claramente mais cortes nas taxas.
Os investidores ainda acreditam em mais um corte de taxa este ano, de acordo com o Monitor da Taxa de Juros do Fed do Investing.com. Os comentários de Powell, no entanto, reduziram as expectativas de que o Fed esteja preparado para reduzir as taxas até o próximo ano.
Nos mercados de câmbio, o dólar desfrutou de uma ampla recuperação na sequência dos comentários de Powell sobre as perspectivas de taxa, subindo para níveis não vistos desde maio de 2017.
O índice dólar, que mede a força da moeda contra uma cesta de seis principais divisas, passou de 98,67, tendo atingido uma alta de mais de dois anos de 98,69 anteriormente.
Contra o iene japonês, o dólar rompeu acima de 109 para saltar para o maior nível desde o final de maio.
O euro caía para US$ 1,1031, o menor desde maio de 2017.
A libra esterlina também estava em desvantagem, caindo para uma baixa de dois anos e meio de 1,2085 contra o dólar em alta.
No mercado de títulos, os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA aumentaram, uma vez que os investidores reduziram as expectativas de pelo menos 100 pontos-base de flexibilização no curto prazo.
O rendimento dos títulos de 10 anos nos EUA subiam para 2,061%, de um fechamento de 2,007%. Eles tinham fechado anteriormente em 2,039%.
Enquanto isso, os principais índices de Wall Street iniciaram a sessão com uma recuperação, após sofrerem a maior liquidação desde maio na quarta-feira.
Por volta das 10:56 da manhã, Dow Jones subia 72 pontos, ou 0,27%, S&P 500 avançava 8 pontos, ou 0,28%, enquanto a Nasdaq 100 tinha ganhos de 55 pontos, ou 0,69%.
Para ver mais dos quadrinhos semanais da Investing.com, visite: http://br.investing.com/analysis/comics
- A Reuters contribuiu para esta matéria

Mais Economia