Topo

Com temor de guerra comercial, minério de ferro recua 2,19% em Dalian

06/08/2019 07h40

Pelo quarto dia consecutivo, a sessão desta terça-feira foi marcada pela desvalorização dos contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de mercadorias de Dalian, na China. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento em janeiro de 2020, recuou 2,19% a 693,50 iuanes por tonelada, o que representa uma variação diária de 15,50 iuanes.

Na mesma direção foram os papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na também chinesa bolsa de mercadorias de Xangai e amargaram uma nova queda em seus preços. O contrato mais líquido, com entrega para outubro do atual calendário, recuou 71 iuanes para 3.707 iuanes por tonelada, enquanto que os de janeiro de 2020, segundo mais negociado, cedeu 56 iuanes para 3.497 iuanes por tonelada.

As perdas do iuan se estabilizaram nesta terça-feira depois que autoridades adotaram medidas para conter a queda, enquanto o mercado acionário chinês recuou após os Estados Unidos classificarem a China como manipulador comercial.

A moeda chegou a cair até 2,7% nos últimos três dias, rompendo o nível simbólico de 7 por dólar, afetando as ações e elevando os títulos uma vez que investidores temem que o valor do iuan se torne mais um capítulo na guerra comercial.

Na segunda-feira, o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin disse que o governo dos Estados Unidos estabeleceu que a China está manipulando o câmbio e vai trabalhar com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para eliminar competição injusta de Pequim.

Em resposta, a China anunciou que suas empresas pararam de comprar produtos agrícolas dos EUA e disse que classificar o país como manipulador cambial vai "prejudicar seriamente a ordem financeira internacional e provocar caos nos mercados financeiros".

Mas o Banco do Povo da China agiu para estabilizar o iuan com uma fixação mais forte do que o esperado e venda de títulos, para sinalizar que as autoridades desejam contar as perdas, elevando o iuan quase 0,5% contra o dólar.

A estabilização do iuan ajudou os principais índices acionários a reduzir parte das perdas no dia, mas ainda assim os mercados terminaram no vermelho.

Com Reuters.

Mais Economia