IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Com lucro praticamente estável no 2º tri, ações da Iguatemi caem mais de 1%

07/08/2019 14h28

As ações da Iguatemi (SA:IGTA3) são negociadas com queda de 1,23% a R$ 47,39, em dia que é negativo para boa parte das ações do Ibovespa depois da forte valorização da véspera.

A administradora de shoppings de alto padrão teve lucro líquido praticamente estável no segundo trimestre em relação ao mesmo período um ano antes, conforme impostos e níveis de depreciação maiores ofuscaram receitas sadias no período.

Em balanço divulgado nesta terça-feira, a companhia reportou lucro líquido de 60,1 milhões de reais entre abril e junho ante 60,6 milhões de reais apurados em igual intervalo de 2018.

A diretora financeira do Iguatemi, Cristina Betts, disse que a inauguração de um novo outlet em Santa Catarina parcialmente vem afetando os resultados do grupo, contribuindo para taxas de depreciação mais altas, bem como reduzindo o nível de ocupação para 92,1%, de 94,6% em junho do ano passado.

A receita líquida trimestral do Iguatemi cresceu 7,2% ano a ano, para 187,7 milhões de reais. As vendas mesmas lojas subiram 6,9%, enquanto as vendas mesmas áreas aumentaram 7,2% na mesma base comparativa.

O desempenho operacional da Iguatemi medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) avançou 3,9% no segundo trimestre, para 137,7 milhões de reais, praticamente em linha com a estimativa média de analistas consultados pela Refinitiv, de 137,2 milhões de reais.

A companhia, que atualmente opera 16 shoppings, dois outlets e quatro torres comerciais, planeja lançar ainda nos próximos meses sua plataforma de comércio eletrônico, o Iguatemi 365.

O BTG Pactual (SA:BPAC11) avalia que os números foram sólidos, reforçando a recomendação de compra para os ativos. Os analistas destacam o crescimento muito forte do SSS e SSR + redução da taxa de inadimplência + 7% do crescimento da receita líquida na base anual.

Do lado negativo, eles notaram um aumento de 250bps na taxa de vacância, o que não preocupa muito. O banco segue otimista em relação aos shoppings brasileiros e a recomendação é baseada em uma carteira AAA de shoppings da empresa; na equipe de gerenciamento de alto nível; e na avaliação atrativa (19x P/FFO 2020E).

Para a Mirae Asset, o resultado foi ligeiramente melhor do que o esperado. Para a corretora, com a expectativa de queda nas taxas de juros, inflação baixa e expectativa de recuperação da economia, é esperado que o setor e o Iguatemi sejam beneficiados. No momento segue mantendo recomendação neutra, lembrando que no as ações do IGTA3 acumulam alta de 18%.

Mais Economia