IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Ouro cai com sentimento de apetite ao risco, mas prossegue acima de US$ 1500

08/08/2019 14h18

Os preços do ouro se afastaram das máximas de seis anos, mas mantiveram-se acima de US$ 1.500 na quinta-feira, à medida que o apetite pelo risco voltou aos mercados financeiros, reduzindo a demanda pelo refúgio seguro do metal precioso.

Os contratos futuros de ouro para entrega em dezembro na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) caíam US$ 12,30, ou 0,81%, para US$ 1.507,30 por onça-troy às 14h17.

O sentimento de risco parece estar diminuindo nos mercados financeiros, com as bolsas mundiais voltando ao caminho ascendente e o apetite por ativos tradicionais como ouro, títulos ou o iene japonês caindo.

Os dados de comércio da China enviaram uma onda de alívio nos mercados, com as exportações subindo inesperadamente em julho e as importações caindo abaixo do esperado.

Apesar dos alertas dos analistas de que os dados podem ser temporários diante dos aumentos de tarifas pendentes dos EUA sobre os produtos chineses em setembro, outra rodada de correção do iuan por Pequim que foi mais firme do que o esperado diminuiu as tensões no mercado.

Em um dia leve para os dados econômicos sem aparições agendadas do Federal Reserve, os pedidos semanais de seguro-desemprego melhores que o esperado sustentaram a percepção de força do mercado de trabalho dos EUA.

Preocupações com as conseqüências econômicas da disputa comercial EUA-China, junto com as crescentes expectativas de que o Federal Reserve precisará reduzir ainda mais as taxas de juros para se beneficiar as barras de ouro não lucrativas, fizeram com que o ouro subisse no acumulado do ano com ganhos de aproximadamente 15%.

Analistas da corretora Orbex sugeriram que os ganhos pareciam exagerados.

"Com a atual narrativa da guerra comercial dos EUA e da China enfraquecendo, o foco pode mais uma vez mudar para os dados econômicos", disseram eles.

Embora os ganhos no metal precioso provavelmente tenham um recuo modesto no curto prazo, o viés continua a ser positivo, disseram esses analistas em uma nota.

John Reade, estrategista-chefe de mercado do World Gold Council, destacou que demanda ainda é sólida.

"Mais entradas decentes em ETFs de ouro ontem, cerca de 20 toneladas em uma base líquida, dividiram aproximadamente 50:50 entre os produtos listados nos EUA e na Europa", ele twittou.

Em outras negociações de metais, os futuros de prata caíam 1,8%, para US$ 16,890 por onça-troy às 10h10.

Os futuros de paládio avançaram 0,4%, para US$ 1.415,85 a onça, enquanto platina perdia 1,6%, para US$ 857,25.

Nos metais básicos, o cobre negociou em alta de 1,1%, cotado a US$ 2,600 a libra-peso.

Mais Economia