IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

B3 recua com lucro afetado por impostos e despesas operacionais

09/08/2019 12h31

As ações da B3 (SA:B3SA3)operam com queda de 1,28% a R$ 44,75 nesta sexta-feira na bolsa paulista. O aumento do volume de negócios e a retomada do mercado doméstico de ofertas de ações ajudou a companhia ampliar suas receitas no segundo trimestre, porém efeitos tributários ligados à remuneração de acionistas e maiores despesas operacionais pressionaram o lucro do período.

A operadora brasileira de infraestrutura de mercado financeiro e da bolsa de valores de São Paulo anunciou nesta quinta-feira que teve lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 654,8 milhões de abril a junho, queda de 9,6% ante igual período do ano passado.

A receita líquida do período cresceu 13,6% no comparativo anual, para R$ 1,42 bilhão. No relatório, o presidente-executivo da B3, Gilson Finkelsztain, atribuiu o movimento à alta do volume negociado e de ofertas de ações.

O resultado operacional da B3 medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) recorrente cresceu 2,9%, a R$ 999,1 milhões.

Porém, a última linha do resultado foi afetada negativamente pelo fato de a companhia ter pago volume menor de remuneração aos acionistas em juros sobre o capital próprio —R$ 395 milhões, ante R$ 652 milhões na mesma etapa de 2018, o que resultou em piora no resultado com pagamento de impostos.

A Mirae Asset avalia que foi um bom resultado, acima das expectativas e mantém o otimismo com a empresa, principalmente após a provação da Reforma da Previdência, que deverá impactar e maior aumento no volume de negócios. No momento, devido à falta de upside, a recomendação segue neutra para B3SA3 (SA:B3SA3).

Mais Economia