IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Lucro maior impulsiona valorização de mais de 8% das ações da CVC Brasil

09/08/2019 12h33

A CVC Brasil (SA:CVCB3) registrou no segundo trimestre do ano um lucro líquido ajustado de R$ 39,4 milhões, o que representa um crescimento de 12% na comparação com o mesmo período de 2018. Já no semestre, o resultado acumulado é de R$ 144,7 milhões, alta de 13,6%. Com isso, as ações da companhia ganham 8,8% a R$ 56,36.

A receita líquida das foi de R$ 389,9 milhões no 2T19, aumento de 23,2% contra o 2T18 (Pro Forma: +4,0%). Nos seis primeiros meses do ano, o crescimento é de 22,3% para um total de R$ 857,6 milhões.

Com isso, o Ebitda normalizado da empresa foi de R$ 128,2 milhões, um importante salto de 30,9% na base anual, com a margem indo 31,0% para 32,9% em 12 meses.

As reservas confirmadas do Brasil totalizaram R$ 3,94 bilhões, montante que representa um alta de 24,4% (11% pro forma). No acumulado do semestre, a holding cresceu 32% em reservas confirmadas (8,2% pro forma) e 36,3% em reservas gerais.

O 2º trimestre ficou marcado por custos decorrentes do fim de cancelamentos de voos e, posteriormente, do fim das operações da Avianca Brasil, que gerou uma despesa de R$ 81,8 milhões (em adição aos R$ 10,2 milhões já reportados no 1T19) às empresas do grupo. O valor é referente a reembolsos, reacomodações e outras despesas operacionais incorridas e estimativa de impactos futuros.

Para a Mirae Asset, no geral o resultado ficou abaixo da expectativa e só é esperada uma melhora mais consistente a partir do 4T19, com a expectativa de recuperação da economia e eleição na Argentina. A recomendação segue de compra, mas somente com visão de longo prazo.

Economia