IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Com lucro 12% menor no trimestre, ações da São Martinho operam em queda

13/08/2019 12h28

A São Martinho (SA:SMTO3) reportou nesta segunda-feira um lucro líquido de R$ 91,5 milhões no primeiro trimestre da safra 2019/20, um recuo de 12% em relação a igual período da temporada passada. Com isso, as ações da companhia são negociadas com queda de 1,65% a R$ 20,23.

O lucro ajustado antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda ajustado) somou R$ 348,4 milhões no trimestre, uma retração de 13% ante os primeiros três meses da safra 2018/19.

A empresa do setor sucroalcooleiro processou 9 milhões de toneladas de cana no período, queda de 4,9% na comparação anual, após um início de safra mais chuvoso neste ano.

A São Martinho (SA:SMTO3) disse ainda que, após a colheita total das áreas afetadas por geadas em julho, não vê impactos à moagem inicialmente prevista para o ano.

A São Martinho (SA:SMTO3) reforçou seu "guidance" operacional divulgado anteriormente, no qual estima uma moagem de 22 milhões de toneladas de cana em 2019/20, com um crescimento de cerca de 5% no volume de produtos equivalente em ATR (Açúcares Totais Recuperáveis) em relação à safra passada, em linha com os cenários de mix de produção do guidance.

O mix de produção de cana para o etanol no trimestre foi de 59%, mas o nível é menor que o registrado no mesmo momento da temporada passada, quando 66% da matéria-prima foi usada a produção do biocombustível.

A produção de açúcar somou 436 mil toneladas, alta de 7,3% no ano a ano, enquanto a de etanol totalizou 382 milhões de litros, queda de 21,5%.

Para o Banco do Brasil Investimentos, a São Martinho (SA:SMTO3) apresentou resultados fracos no 2T19, com queda de 13% no EBITDA, maior CPV caixa e SG&A possuem impactos mais relevantes do que os efeitos positivos, como a maior produtividade e o forte desempenho do etanol.

A equipe do banco espera que as vendas futuras de açúcar adiadas neste trimestre compensem os menores volumes deste trimestre no ano completo de 2020.

O BB-BI mantém o preço alvo em R$ 26,0/ação para final do ano, com recomendação Outperform, já que segue otimista tanto para a safra 2019/20 quanto para a empresa no longo prazo.

Economia