PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ouro mergulha após retorno do sentimento de risco

16/08/2019 12h53

Os preços do ouro caíam na sexta-feira, perdendo uma pequena parcela dos ganhos de agosto, uma vez que os rendimentos das dívidas soberanas se afastaram das mínimas históricas e os sinais de estímulo econômico impulsionaram o sentimento de risco.

Os contratos futuros de ouro para entrega em dezembro na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) despencam US$ 11,65, ou 0,76%, para US$ 1.519,55 por onça-troy por volta das 12h49.

As ações globais estavam em alta, à medida que a China sugeria planos para estimular o consumo, enquanto a Tailândia também aderiu à briga, anunciando cerca de US$ 10 bilhões em estímulo econômico.

Os movimentos dos formadores de política econômica ajudaram a acalmar os nervos dos investidores, que estavam temerosos com a possibilidade de uma recessão econômica global nos próximos meses. Os receios com a debilitação da saúde da economia global haviam impulsionado a demanda por ativos porto seguros, como o ouro.

O rendimento do título do Tesouro norte-americano de 10 anos também recuou em relação ao de 2 anos, revertendo a inversão que alguns economistas dizem sinalizar uma recessão próxima.

Os rendimentos da dívida soberana em geral, como o bônus do Tesouro americano de 30 anos ou os títulos de 10 anos de países como Alemanha ou França, também estavam se afastando das mínimas históricas, colocando uma leve pressão sobre o ouro.

Apesar da queda de sexta-feira, Barani Krishnan, analista sênior de commodities do Investing.com, observou que "o ouro está desfrutando de seu melhor ano desde que bateu recordes oito anos atrás". O metal precioso subiu quase 6% em agosto, com ganhos de 16% no acumulado do ano.

Os bancos centrais que responderam ao aumento das tensões comerciais, uma série de dados econômicos globais decepcionantes e, mais recentemente, a inversão da curva de juros dos EUA estão entre os fatores de alta que sustentam os preços do ouro, disse Krishnan. Ele também apontou para compras dos bancos centrais e apoio especulativo de fundos hedge e fundos de ouro negociados em bolsa.

Os investidores provavelmente ainda ficarão de olho nos dados econômicos dos EUA que serão divulgados mais tarde para descobrir oportunidades comerciais de curto prazo no metal precioso.