PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

ABERTURA: Ibov futuro abre em alta com exterior positivo em cenário menos tenso

19/08/2019 09h22

Depois de uma semana negativa, o índice futuro do Ibovespa começa a segunda-feira com ganhos de 0,93% aos 101.780 pontos. Com o final a temporada de balanços na cena local, as atenções dos investidores passam a dar maior atenção para a tramitação da reforma da Previdência no Senado, e também para o andamento da reforma Tributária na Câmara dos Deputados. A cena externa também merece especial apreciação do mercado em meio a idas e vindas da guerra comercial entre EUA e China, a qual não há perspectiva de celebração de acordo no curto prazo.

Já o dólar, tem queda de 0,21% a R$ 3,9972

O IGP-M passou a cair 0,68% na segunda prévia de agosto ante alta de 0,53% no mesmo período do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. O índice é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Na cena local, a semana traz alguns indicadores importantes, com destaque para o IPCA-15, do IBGE, que será divulgado na quinta-feira, além de outros números da FGV. Lá fora, as atenções ficam para a ata do Fomc (quarta-feira), além do pronunciamento do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, na sexta-feira no simpósio de política econômica Jackson Hole.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e autoridades da Casa Branca rejeitaram preocupações de que o crescimento econômico pode estar vacilando, afirmando no domingo que veem pouco risco de recessão apesar da semana volátil para mercados globais de títulos, e insistindo que sua guerra comercial com a China não está prejudicando o país.

"Estamos indo tremendamente bem, nossos consumidores são ricos, eu dei uma enorme redução tributária, e eles estão cheios de dinheiro", disse Trump no domingo.

O principal conselheiro econômico de Trump, Larry Kudlow, disse no domingo que as recentes discussões por telefone entre Washington e Pequim foram "positivas" e indicaram que haverá mais teleconferências planejadas entre os negociadores nos próximo 10 dias.

Além disso, Trump disse no domingo que conversou com Tim Cook, presidente-executivo da Apple (NASDAQ:AAPL), sobre o impacto das tarifas norte-americanas. Segundo Trump, Cook "leventou um bom argumento" de que as tarifas poderiam prejudicar a empresa, especialmente considerando que sua rival sul-coreana Samsung (KS:005930) não estava sujeita a essas mesmas tarifas.

O banco central da China apresentou uma importante reforma dos juros no sábado para ajudar a reduzir os custos de empréstimo para empresas e sustentar a economia, que vem sendo afetada pela guerra comercial com os Estados Unidos.

O Banco do Povo da China afirmou que irá melhorar o mecanismo usado para estabelecer a principal taxa de empréstimo (LPR) a partir deste mês, em uma medida para reduzir a taxa de juros real a empresas como parte das reformas de mercado.

Analistas disseram que a medida, que foi tomada após dados mostrarem crescimento mais fraco do que o esperado em julho, destaca as tentativas do governo de usar reformas para sustentar a economia.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,71%, a 20.563 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 2,17%, a 26.291 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 2,10%, a 2.883 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 2,17%, a 3.791 pontos.

A semana começa de forma positiva para os principais mercados de ações do continente europeu. Em Frankfurt, o DAX tem alta de 1,28% aos 11.710 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE soma 1,02% aos 7.189 pontos. Já em Paris, o CAC avança 1,06% aos 5.357 pontos.

COMMODITIES

A sessão desta segunda-feira na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China, foi marcada por leve desvalorização para os contratos futuros do minério de ferro. O ativo com o maior volume de negócios, com vencimento para o mês de janeiro de 2020, recuou 0,96% a 617,00 iuanes por tonelada, uma variação diária de 6,00 iuanes.

Por outro lado, a jornada foi em sentido diversos para os papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias da também chinesa cidade de Xangai. O contrato com a maior liquidez, com entrega para outubro do atual calendário, avançou 33 iuanes para um total de 3.747 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, de janeiro de 2020, os ganhos foram 6 iuanes por tonelada, para 3.470 iuanes por tonelada.

A semana começa positiva nas principais praças de negociação dos contratos do petróleo. Em Nova York, o barril do topo WTI, tem ganhos de 0,62%, ou US$ 0,34, a US$ 55,15. Já em Londres, o Brent ganha 0,58%, ou US$ 0,34, a US$ 58,98.

MERCADO CORPORATIVO

- Petrobras (SA:PETR4)

Campo de Maromba

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) aprovou a compra do campo de petróleo de Maromba, da Petrobras (SA:PETR4) e da Chevron Corp (NYSE:CVX), pela norueguesa BW Offshore. O preço total da compra do campo, localizado na Bacia de Campos, é de 115 milhões de dólares (cerca de 460 milhões de reais), que serão pagos em três anos.

O diretor geral da ANP, Décio Oddone, confirmou à Reuters, em uma mensagem neste sábado, que a BW Offshore foi aprovada como uma operadora de campo de petróleo no Brasil.

A decisão completa o plano da BW Offshore de se tornar uma operadora, e não apenas fornecedora de serviços de óleo, plataformas e navios. A empresa atualmente tem duas unidades flutuantes de produção, armazenamento e descarregamento no Brasil.

Preços dos combustíveis

Os preços médios dos combustíveis avançaram nos postos nesta semana, com a gasolina e o diesel voltando a subir após terem interrompido uma série de recuos na semana anterior, mostraram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira.

A cotação média do diesel, combustível mais utilizado do Brasil, fechou a semana a 3,525 reais por litro, alta de 0,03%. Foi o segundo aumento consecutivo, depois de uma sequência anterior de três semanas de baixa.

A gasolina ficou em média a 4,326 reais por litro nas bombas, alta de 0,16% frente à semana anterior, quando o combustível havia quebrado uma série de 12 semanas seguidas de retração nos preços.

Reajuste

A estatal Petrobras (SA:PETR4) reduziu os preços da gasolina em suas refinarias em 10 centavos por litro, ou quase 6% para a gasolina "tipo A" e cerca de 5% para o produto "premium", segundo informações publicadas no site da estatal nesta sexta-feira.

O reajuste é o primeiro praticado pela companhia desde 1° de agosto, quando as cotações haviam sido elevadas em 4%, ocasião em que houve alta também no diesel, que não teve alterações nesta sexta-feira.

Os preços do petróleo Brent, referência global, acumulam baixa de cerca de 3% desde o último reajuste da petroleira.

Segundo a Petrobras (SA:PETR4), os preços da gasolina e do diesel vendidos às distribuidoras têm como base a paridade de importação, formada pelas cotações internacionais mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo, além de uma margem que cobre os riscos.

- Huawei

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos deve estender autorização para que a Huawei adquira produtos de fornecedores americanos para que a empresa chinesa possa atender a contratos com clientes já em vigor, afirmaram duas fontes familiarizadas com a situação. A "licença temporária" será prorrogada em 90 dias, disseram as fontes.

O governo inicialmente permitiu que a Huawei adquirisse alguns bens norte-americanos em maio, pouco depois de vetar a companhia, em uma medida para tentar minimizar a disrupção para os seus clientes, muitos dos quis operam redes em áreas rurais dos EUA.

A extensão vai renovar acordo previsto para acabar em 19 de agosto, permitindo que a empresa chinesa possa manter redes de telecomunicação já instaladas e autualizar softwares a aparelhos da Huawei.

A situação envolvendo a licença, que se tornou um ponto chave de barganha dos EUA em suas negociações comerciais com a China, permanece fluida e a decisão de estender a moratória pode mudar antes do deadline de segunda-feira, disseram as fontes.

- Forjas Taurus (SA:FJTA4)

A fabricante de armas Taurus (FJTA4 (SA:FJTA4).SA) informou nesta sexta-feira que iniciou a produção de uma nova fábrica em Bainbridge, no Estado norte-americano da Geórgia.

Segundo a companhia brasileira, que afirma ser a maior fabricante de revólveres do mundo e a quarta marca de armas mais vendida nos Estados Unidos, a filial tem capacidade para a produção de 800 mil armas por ano. A unidade produzirá revólveres Heritage e a pistola Taurus modelo TX22.

- CPFL (SA:CPFE3)

Mais de dois anos após a aquisição pela chinesa State Grid e pouco depois de uma oferta de ações que levantou 3,7 bilhões de reais, a elétrica CPFL Energia (SA:CPFE3) está em uma nova fase de expansão, na qual avaliará novos projetos e oportunidades que possam surgir em privatizações, como da mineira Cemig (SA:CMIG4), disse à Reuters nesta sexta-feira o presidente da companhia.

A estratégia é olhar ativos em todas as áreas de atuação da empresa —de geração e renováveis e distribuição às linhas de transmissão— e aproveitar também a forte redução do endividamento da companhia em relação ao nível de alavancagem dos últimos anos.

"Quando você olha o porte da CPFL (SA:CPFE3) e também o porte de nosso acionista, isso dá um pouco uma perspectiva de grandes ambições para a companhia. Eu diria que, pelo tamanho, a gente não descarta nenhum tipo de ativo potencial", disse Gustavo Estrella, que assumiu o comando da elétrica em dezembro.

A fala veio após questionamento da Reuters sobre um possível interesse na Cemig (SA:CMIG4), gigante controlada pelo Estado de Minas Gerais.

- Oi (SA:OIBR4)

As ações da Oi (SA:OIBR4) voltaram a despencar na bolsa paulista nesta sexta-feira, ainda pressionadas pelo fraco desempenho operacional da companhia no segundo trimestre e possibilidade de aumento de investimentos, além de ruídos de intervenção federal na empresa se não houver melhora nos números nos próximos meses.

Nem a negativa da Anatel sobre a possibilidade iminente de decretação de intervenção ou de cancelamento de concessões de telefonia fixa do grupo amenizaram as perdas.

Analistas do Bradesco BBI afirmaram em nota a clientes que preferiam manter a visão cautelosa sobre as operações da empresa, devido aos contínuos desafios para resultados de curto prazo no segmento residencial, bem como demonstraram preocupação a intenção da Oi (SA:OIBR4) de acelerar seu plano de investimentos.

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

A segunda-feira do presidente começa com uma reunião com Sergio Moro, Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública. Na parte da tarde, recebe Paulo Guedes, Ministro de Estado da Economia e, em seguida, com Abraham Weintraub, Ministro de Estado da Educação. Ao final do dia, se reúne com Antônio Barra Torres, Diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

- Paulo Guedes

Nesta segunda-feira o ministro da Economia tem uma série de reuniões. Confira a programação:

- Ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni;

- Secretários do Ministério da Economia (semanal);

- Presidente da República, Jair Bolsonaro;

- Secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra (semanal);

- Diretora do Fórum Econômico Mundial para a América Latina, Marisol Argueta.

Com Reuters.