PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Moedas - Dólar cai, Euro tem alta depois dos dados de PMI

22/08/2019 09h53

O dólar caía nesta quinta-feira com as expectativas de cortes nos juros do Federal Reserve diminuindo, enquanto o euro ganhava terreno depois que os dados do setor privado da zona do euro aumentaram as esperanças de que a economia do bloco pudesse evitar uma recessão.

O dólar caía 0,2%, para 1,1104 euro, às 4h47, depois que os dados do PMI francês e alemão de agosto ficaram acima das expectativas. Mas os relatórios mostraram que o setor industrial da Alemanha permaneceu em níveis de recessão e a atividade no setor de serviços desacelerou.

Em relação ao iene, o dólar recuou 0,15%, para 106,44, após alta de 0,36% na quarta-feira, a maior desde 13 de agosto.

As atas do Fed de quarta-feira mostraram que os formuladores de política monetária consideraram o corte nas taxas de juros no mês passado como um ajuste, e não como o início de uma flexibilização monetária sustentada, moderando as expectativas de outro corte de juros na reunião de setembro do banco central.

Os investidores agora estão aguardando o discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, em Jackson Hole, na sexta-feira, para saber até que ponto o banco central dos EUA está preparado para reduzir as taxas.

Seus comentários são de particular interesse após uma inversão na curva de rendimentos do Tesouro destacar o risco de que a economia dos EUA caia em recessão. Embora as atas do Fed tenham moderado algumas expectativas dovish, os mercados ainda esperam, em geral, novos cortes nas taxas, com o crescimento desacelerando.

"Os rendimentos apoiam o dólar por enquanto, mas isso pode não durar depois do discurso de Powell", disse Junichi Ishikawa, estrategista sênior de câmbio do IG Securities em Tóquio.

"Cortes de taxa adicionais são completamente especulação. Se Powell soar um pouco hawkish, as ações poderiam vender, o que prejudicaria o dólar contra moedas portos-seguros, como o iene."

Os formuladores de políticas do Fed estavam profundamente divididos quanto a cortar as taxas de juros no mês passado, mas estavam unidos em querer sinalizar que não estavam em um caminho pré-definido para mais cortes.

No entanto, essa mensagem provavelmente não será bem aceita pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que repetidamente criticou Powell por não cortar as taxas de juros de forma mais agressiva.

O Fed e outros bancos centrais estão cortando as taxas de juros para conter uma desaceleração econômica global causada por uma prolongada guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

A libra esterlina ficou um pouco mais baixa em relação ao euro, a caminho de seu segundo dia de perdas, já que a incerteza sobre a separação da Grã-Bretanha e União Européia pesava sobre a libra esterlina.

Contra o dólar, a libra esterlina subia para 1,2135.

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse na quarta-feira que não haverá renegociação dos termos para a saída da Grã-Bretanha da UE.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson deve se encontrar com Macron em Paris na quinta-feira. A chanceler alemã, Angela Merkel, desafiou a Grã-Bretanha a apresentar alternativas para o controle da fronteira irlandesa dentro de 30 dias após conhecer Johnson na quarta-feira.

Johnson, que venceu a indicação para primeiro ministro há um mês, está apostando que a ameaça do tumulto de um Brexit "sem acordo" convencerá Merkel e Macron de que a UE deveria fazer um acordo de última hora para remover o controle irlandês.

- A Reuters contribuiu para esta matéria