PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Gol e Azul avançam com acordos com a American Airlines e United à vista

14/10/2019 13h25

Em um cenário de forte queda do petróleo nos mercados internacionais, as ações das companhias aéreas Gol e Azul operam em alta nesta segunda-feira, impulsionadas por acordos operacionais para compartilhamento de voos.

As ações da Gol (SA:GOLL4), que já fecharam com alta de 4,68% com as primeiras informações de parceria na semana passada, seguem nesta segunda-feira com ganhos, avançando 2,63% a R$ 35,56, por volta das 13h20. Na mesma toada, a Azul (SA:AZUL4) registava ganhos de 2,04% a 54,43, depois de subir 1,45% no final da semana passada.

Na sexta-feira, a American Airlines Group informou que está negociando uma possível parceria com a Gol. Uma porta-voz afirmou que a American Airlines está "sempre procurando parceiros em potencial", acrescentando que essas possíveis parcerias fazem parte de suas operações normais. A Gol se recusou a comentar.

A American afirmou em uma reportagem de um jornal que estava negociando um acordo que poderia "integrar voos entre as duas companhias aéreas na América Latina".

A reportagem do Valor Econômico, que citou fontes familiarizadas com o assunto, informou que as duas empresas iniciaram o contato em setembro, no mesmo dia em que a Delta Air Lines comprou uma participação na Latam Airlines, concorrente da Gol.

Em setembro, a Delta anunciou um acordo com a Latam para comprar uma participação minoritária na companhia aérea com sede no Chile por 1,9 bilhão de dólares. A Delta posteriormente vendeu sua participação minoritária na Gol, e a Latam e a American encerraram uma aliança pré-existente.

Azul

No caso da Azul, a aérea informou na segunda-feira que está em negociações para formar uma parceria com United Airlines, Avianca Holdings e Copa Holdings para voos entre Estados Unidos e a América Latina.

As três companhias aéreas anunciaram um plano de coordenar rotas em novembro de 2018, mas ainda precisam receber aprovação regulatória para prosseguirem. A United possuía 8,2% das ações preferenciais da Azul no mês passado, segundo informações da companhia aérea brasileira.