PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

ABERTURA: Após recorde, Ibov futuro abre com leve desvalorização com realização

22/10/2019 09h29

O índice Ibovespa Futuros iniciou a sessão desta terça-feira com leve queda de 0,03% aos 106.890 pontos, com o dólar recuando 0,16% a R$ 4,1220. Às 09h33, as perdas estavam em 0,08% a 106.785 pontos, enquanto a moeda americana despencava 0,73% a R$ 4,0977.

A pequena desvalorização do índice futuro é um movimento de realização de lucros que ocorre após o índice atingir, junto com o Ibovespa, recorde de fechamento na véspera. Já a moeda americana cai com expectativa quanto à aprovação da reforma da Previdência na votação de 2ºturno no plenário do Senado e do IPCA-15 de outubro vir acima da expectativa do mercado.

A sessão desta terça-feira deve ser marcada pela manutenção do otimismo nos mercados internacionais, com otimismo nas negociações comerciais entre EUA e China após declarações positivas do presidente dos EUA Donald Trump e de autoridades chinesas. Na cena doméstica, os investidores estão na espera da votação do segundo turno da reforma da Previdência no Senado, enquanto estão sob a expectativa dos balanços corporativos e dos próximos passos da agenda liberal de reformas no Congresso. O ponto de atenção segue voltada à novela do Brexit, com novas tentativas do primeiro-ministro Boris Johnson de levar à votação no Parlamento britânico proposta acordada com a União Europeia para a saída do Reino Unido do bloco no próximo dia 31.

- Cenário Interno

IPCA-15

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 0,09% em outubro, mesmo percentual registrado em setembro. Este é o menor resultado para um mês de outubro desde 1998, quando a taxa foi de 0,01%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,69% e, em 12 meses, de 2,72%, abaixo dos 3,22% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Reforma da Previdência

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, disse que a disputa interna no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, não deve prejudicar a votação da proposta de reforma da Previdência. O texto da reforma deve ser votado hoje no plenário do Senado, em segundo turno. Para que seja aprovado e siga para promulgação, o projeto precisa alcançar o mínimo de 49 votos favoráveis.

De acordo com Mourão, os parlamentares da legenda no Senado estão blindados em relação à disputa na Câmara dos Deputados. "Acho que não [atrapalha]. A votação de maior interesse é amanhã [hoje], a da Previdência, e o Senado parece que não foi contaminado ainda pela disputa no PSL. Acho que amanhã [hoje] nós vencemos isso e espero que, daqui para o final da semana, o PSL se reorganize e chegue a um acordo", disse Mourão a jornalistas.

Crise no PSL

Deputados ligados o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), buscam agora assinaturas para escolher um terceiro nome para a liderança do partido na Câmara, apesar de o deputado Eduardo Bolsonaro (SP) constar oficialmente como o novo líder do partido de Jair Bolsonaro na Casa, após uma lista com 28 assinaturas retirar Delegado Waldir (GO) do cargo mais cedo.

De acordo com o deputado Júnior Bozzella (PSL-SP), houve um acordo, encabeçado pelo ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, em que os dois lados —os favoráveis a Eduardo e a ala bivarista, que defendia a manutenção de Waldir— desistiriam de apresentar listas, em prol de um terceiro nome que pudesse amenizar o cisma interno na bancada.

Mas o pacto teria sido descumprido, quando o nome de Eduardo foi oficializado na liderança.

Balanços

Após o fechamento do pregão desta terça-feira, a Indústrias Romi (SA:ROMI3) dará prosseguimento à temporada de resultados, divulgando seus números do terceiro trimestre do ano. Para amanhã, antes da abertura dos negócios, é esperada a divulgação dos dados da WEG (SA:WEGE3)

- Cenário Externo

Negociações EUA x China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que os esforços para pôr fim à guerra comercial entre EUA e China vão bem, embora as duas maiores economias do mundo continuem a divergir sobre comércio e política globalmente mesmo com o anúncio da esperada trégua neste mês.

Na semana passada, Trump havia dito esperar que a primeira fase do acordo seja assinada até meados do próximo mês.

"O acordo com a China vai indo muito bem. Eles querem um acordo", disse Trump antes de uma reunião de gabinete, enfatizando o custo que as tarifas norte-americanas geraram para a economia chinesa. "Eles meio que têm que fazer um acordo... porque a cadeia de oferta deles está descendo pelos ralos."

A China e os Estados Unidos tiveram algum progresso em suas negociações comerciais, afirmou nesta terça-feira o vice-ministro das Relações Exteriores, Le Yucheng, e qualquer problema pode ser resolvido desde que um lado respeite o outro.

Nenhum país pode prosperar sem trabalhar com outros, disse Le no Fórum Xiangshan em Pequim. O mundo quer que a China e os EUA encerrem sua guerra comercial, disse ele. Isso exige abertura e não uma "dissociação" dos países ou uma nova Guerra Fria.

Pequim teme que o governo de Donald Trump queira uma completa separação da China.

Os dois países têm trabalhado para resolver sua disputa comercial, com os EUA anunciando a "fase 1" de um acordo com a China sobre questões comerciais e suspendendo a alta da tarifa marcada para outubro.

Brexit

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve apresentar um projeto de lei que implementa seu acordo Brexit à Câmara dos Comuns para uma segunda leitura. As últimas reportagens da mídia sugerem que Johnson tem votos suficientes para aprovar a proposta, mas ele teria que apresentar a chamada "moção do programa" na quarta-feira detalhando o momento da retirada (Johnson ainda está buscando uma saída em 31 de outubro, apesar de ter solicitado um adiamento para a União Europeia no fim de semana).

A moção do programa tem um risco muito maior de ser atingida pelas emendas da oposição. No entanto, ainda não existe uma maioria clara para nenhuma das alternativas que a oposição está propondo, a saber, um segundo referendo com a opção de revogar a decisão de sair ou um requisito para ingressar em uma união aduaneira com a União Europeia (o que negaria ao Reino Unido autonomia de fazer sua própria política comercial).

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei permaneceu fechado. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,23%, a 26.786 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,50%, a 2.954 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,39%, a 3.895 pontos.

A terça-feira indica que será positiva para os mercados de ações das principais praças da Europa. Em Frankfurt, o DAX tem alta de 0,14% aos 12.766 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE soma 0,48% aos 7.198 pontos. Já em Paris, o CAC ganha 0,08% aos 5.652 pontos.

COMMODITIES

Na sessão desta terça-feira na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China, os contratos futuros do minério de ferro tiveram uma nova valorização moderada. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento para janeiro do próximo ano, encerrou com ganhos de 0,82% a 616,00 iuanes por tonelada, diante de um valor de liquidação de 611,00 iuanes/t da véspera. Assim, a variação foi de 5,00 iuanes.

No mesmo sentido, a jornada também foi positiva para os papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na também chinesa bolsa de mercadorias de Xangai. O contrato de maior liquidez, com entrega para janeiro de 2020, avançou 22 iuanes para 3.318 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, de maio do mesmo ano, somou 15 iuanes para 3.192 iuanes por tonelada.

Os preços do petróleo registram ganhos na sessão desta terça-feira. O barril do tipo Brent, referência em Londres, soma 0,39%, ou US$ 0,23, a US$ 59,19. Já em Nova York, o WTI tem valorização de 0,41%, ou US$ 0,22, a US$ 53,73.

MERCADO CORPORATIVO

- Bombardier

A canadense Bombardier anunciou nesta segunda-feira seu renovado avião executivo Liberty Learjet 75, apostando que espaço extra para as pernas e um preço mais baixo a ajudarão a vencer a concorrência do modelo líder de mercado da Embraer (SA:EMBR3).

Bombardier e Embraer (SA:EMBR3) estão se voltando para suas divisões de jatos executivos depois de aceitarem acordos com Airbus e Boeing para perderem o controle sobre seus programas de aviação comercial.

"É mais espaço e mais desempenho (do que concorrentes) com custo e custo operacional semelhantes", disse Mischa Loeffler, gerente de planejamento de produtos da Bombardier Aviation à Reuters, no lançamento de um modelo do avião para a mídia. O anúncio aconteceu antes da maior feira de jatos executivos do mundo, que começa na terça-feira, em Las Vegas.

- Vale (SA:VALE3)

A mineradora Vale (SA:VALE3) informou que suspendeu temporariamente, a partir desta segunda-feira, a disposição de rejeitos na barragem Itabiruçu, localizada no Complexo de Itabira (MG), enquanto conduz avaliações sobre as características geotécnicas da estrutura.

No mesmo fato relevante em que informou sobre a barragem, a empresa reafirmou seu guidance de vendas de minério de ferro e pelotas de 307-332 milhões de toneladas para 2019, mas, "em função da paralisação de Itabiruçu e pela revisão do seu plano de vendas, espera que estas se situem entre o limite inferior e o centro da faixa".

Até o início do mês, a Vale (SA:VALE3) esperava que as vendas ficassem no centro da faixa do guidance.

Enquanto a disposição de rejeitos em Itabiruçu estiver suspensa, a barragem adotará o protocolo de emergência em Nível 1, de acordo com a Agência Nacional de Mineração (ANM), que não requer evacuação da população a jusante, destacou a companhia.

- Mineração

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) vendeu nesta segunda-feira o primeiro projeto de mineração no âmbito do Programa de Parceria de Investimento (PPI) para a Perth Recursos Minerais.

A companhia arrematou os direitos de exploração do complexo em Palmeirópolis (TO), que contém mais de um elemento em quantidades para aproveitamento econômico, como zinco, cobre, chumbo e ouro, segundo nota do governo.

A CPRM detém cerca de 330 direitos minerários, divididos em 30 blocos, que serão ofertados à iniciativa privada.

Além do complexo de Palmeirópolis, outros quatro ativos minerais estão qualificados no PPI: Carvão Candiota (RS), Fosfato de Miriri (PE/PB), Cobre de Bom Jardim (GO) e Caulim do Rio Capim (PA).

- Carrefour (SA:CRFB3) Brasil

O Carrefour (SA:CRFB3) Brasil informou nesta segunda-feira alta de cerca de 9% nas vendas brutas do terceiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado, para 14,44 bilhões de reais, em desempenho puxado pela divisão de atacarejo e por forte alta no faturamento dos supermercados do grupo.

A companhia, que controla as bandeiras Atacadão (atacarejo) e Carrefour (SA:CRFB3), teve crescimento de 3,8% nas vendas mesmas lojas no período de julho ao fim de setembro, com destaque para expansão de 8,8% no indicador dos supermercados, apesar de "cenário ainda bastante desafiador".

Na semana passada, o rival GPA (SA:PCAR4) divulgou crescimento de 9,5% nas vendas totais do terceiro trimestre, a 14,57 bilhões de reais. As vendas mesmas lojas do grupo subiram 1,7 por cento. Não ficou imediatamente claro se os números são comparáveis com o desempenho do Carrefour (SA:CRFB3) Brasil.

- CSN (SA:CSNA3)

O alto forno 3, da usina da CSN (SA:CSNA3) em Volta Redonda (RJ), deve voltar a operar no final de semana, informaram nesta segunda-feira duas fontes a par do assunto. O equipamento deveria ter retomado a operação no final de agosto, mas problemas na obra obrigaram a empresa a rever o cronograma em meados do mês passado.

Quando anunciou a obra no início do ano, a CSN (SA:CSNA3) afirmou que a reforma ampliaria a capacidade do equipamento entre 400 mil e 500 mil toneladas anuais. De acordo com a segunda fonte, a capacidade do alto forno 3 após a reforma será de cerca de 3,3 milhões de toneladas anuais.

Ao dar detalhes sobre o trabalho em maio, executivos da CSN (SA:CSNA3) afirmaram que o investimento na reforma seria de 200 milhões de reais e que o forno ficaria parado por 60 dias.

Para fazer frente à parada do forno, a CSN (SA:CSNA3) recorreu a compras de placas de aço de terceiros para suprir suas necessidades de laminação. Estas compras já estavam impactando os custos da companhia desde o início do ano, quando a empresa começou a montar estoques do insumo para se preparar para a reforma.

- Petrobras (SA:PETR4)

A Petrobras (SA:PETR4) completou no último sábado um mês sem reajustar os preços do diesel em suas refinarias, registrando o maior intervalo de estabilidade nos valores em cerca de um ano, de acordo com dados compilados pela Reuters.

O preço médio do diesel nas refinarias da petroleira figura em cerca de 2,30 reais por litro desde 19 de setembro, quando a Petrobras (SA:PETR4) elevou a cotação em 4,2%, na esteira das fortes altas no preço internacional do petróleo após ataques a instalações da estatal saudita Aramco, ocorridos em 14 de setembro.

O último intervalo tão longo entre reajustes havia acontecido exatamente entre setembro e outubro do ano passado. Na ocasião, a estatal reduziu o valor nas refinarias em 10,07% em 30 de outubro, após tê-lo elevado em 2,8% em 30 de setembro.

- Embraer (SA:EMBR3)

A Flexjet anunciou nesta segunda-feira encomenda firme de 64 jatos executivos da Embraer (SA:EMBR3), num pedido avaliado em 1,4 bilhão de dólares e que envolve aviões Praetor da fabricante brasileira.

A encomenda inclui jatos executivos Phenom, afirmaram executivos das duas companhias em evento em Las Vegas.

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

O presidente da República, participa nesta terça-feira da Cerimônia de Proclamação da Entronização do Imperador do Japão e, em seguida, da reunião bilateral com o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski.

- Paulo Guedes

- Reunião semanal com o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto;

- Reunião de Governança;

- Almoço com Roberto Campos, Presidente do Banco Central;

- Audiência com Walton Alencar - Ministro do TCU;

- Audiência com Júlio Marcelo - Procurador de Contas junto ao TCU;

- Audiência com José Múcio - Ministro do TCU;

- Audiência com Raimundo Carreiro - Ministro do TCU;

- Audiência com Augusto Nardes - Ministro do TCU.