PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira

30/10/2019 08h36

O Fed deve cortar as taxas de juros pela terceira vez este ano, no contexto de uma desaceleração econômica que provavelmente será confirmada com os números do PIB do terceiro trimestre que serão divulgados no início do dia.

Apple (NASDAQ:AAPL), Facebook (NASDAQ:FB), Starbucks (NASDAQ:SBUX) e outros figurões , incluindo a GE, reportam ganhos trimestrais.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros nesta quarta-feira, 30 de outubro.

1. O Fed decide, o Fed orienta

Espera-se que o Federal Reserve reduza a meta de fundos federais entre 1,50% e 1,75%, o terceiro corte deste ano, em um esforço para sustentar uma economia afetada pela disputa comercial com a China e sem o mesmo grau de apoio obtido pelo pacote de corte de impostos do presidente Donald Trump em 2017.

A decisão será difícil após a divulgação da primeira leitura do crescimento do Produto Interno Bruto dos EUA no terceiro trimestre às 9h30 da manhã. Os analistas esperam que o crescimento tenha desacelerado para 1,6% anual, a menor taxa desde o primeiro trimestre de 2017, ante 2,0% no segundo trimestre.

O Fed anunciará suas decisões como de costume às 15h00, e a coletiva de imprensa do presidente Jerome Powell ocorrerá meia hora depois. Com um corte de taxa dado como certo, a atenção do mercado estará na orientação para o futuro caminho da política monetária.

Veja o Monitor da Taxa de Juros do Fed

No Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) deve confirmar a expectativa de mercado com mais um corte de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, de 5,5% para 5% ao ano, o menor patamar da história recente. Como nos EUA, os investidores vão ficar atento sob o teor do comunicado para avaliar o tamanho e a extensão do atual ciclo de flexibilização monetária. Há casas apostando em Selic a 4% ao ano no final de 2020.

O Copom deve anunciar a decisão de política monetária e o comunicado da reunião por volta das 18 horas.

LEIA TAMBÉM: Copom: Corte de juros é consenso, extensão do atual ciclo de queda é dissenso

2. Gigantes do Vale do Silício reportam seus ganhos

Apple (NASDAQ:AAPL) e Facebook manterão os investidores ocupados após o Fed, quando reportarem sua ganhos trimestrais após o fechamento do pregão.

Espera-se que o Facebook mostre um crescimento lento, mas tenha boa rentabilidade diante dos crescentes desafios regulatórios. O Facebook deve divulgar ganhos de US$ 1,90 por ação e receita de US$ 17,36 bilhões. Os ganhos aumentariam 7,95% em relação ao ano anterior. A receita aumentaria 26,4%. Os usuários ativos mensais devem subir para 2,45 bilhões no trimestre, um aumento de cerca de 8% em relação aos 2,27 bilhões do mesmo período do ano anterior.

Os resultados da Apple (NASDAQ:AAPL) provavelmente serão menos emocionantes, já que é o próximo trimestre com as compras de Natal que realmente faz ou quebra seu ano. Mesmo assim, lançará uma luz importante sobre a dinâmica do mercado na China no contexto da guerra comercial em andamento. Estimativas dos analistas compiladas pelo Investing.com projetam ganhos de US$ 2,83 por ação, queda ligeiramente maior em relação ao ano anterior. A receita é estimada em US$ 62,9 bilhões, um aumento de 2,4%.

3. As ações indicam abertura com estabilidade

Os futuros dos EUA recuaram para um compasso de espera, como sempre acontece antes da decisão do Fed e da coletiva de imprensa no final do dia.

Às 7h30 da manhã, os futuros do Dow caíam 10 pontos, efetivamente inalterados, enquanto os S&P 500 futuros e o Nasdaq também estavam baixos.

Os mercados asiáticos e europeus enfraqueceram-se da noite para o dia, atingidos por ganhos visivelmente menores. O Deutsche Bank (DE:DBKGn) caía 5,4%, atingindo o nível mais baixo de duas semanas depois de apresentar para uma perda maior que a esperada, arrastando outros bancos europeus. A Fiat Chrysler e a PSA, proprietária da Peugeot, subiam após confirmar as negociações de fusão, enquanto a Volkswagen manteve suas previsões para o ano, apesar dele parecer sombrio em relação aos mercados mundiais de automóveis.

Além do Facebook e da Apple (NASDAQ:AAPL), a lista de ganhos de hoje inclui atualizações da General Electric (NYSE:GE), Starbucks, Yum! Marcas (NYSE:YUM), CME Group (NASDAQ:CME), ADP (NASDAQ:ADP), Propriedade Simon (NYSE:SPG ), Brookfield, Equinix (NASDAQ:EQIX), Moodys (NYSE:MCO), MetLife (NYSE:MET), Williams (NYSE:{ {8122|WMB}}), Motorola (NYSE:MSI), Mckesson, Hess, Apache (NYSE:APA) e Southern (NYSE:SO) .

4. Beyond Meat (NASDAQ:BYND) envia aviso aos investidores do IPO

As ações da Beyond Meat (NASDAQ:BYND) estão se estabilizando após a queda de 22% de terça-feira, depois que os investidores que participaram do IPO sob lock-up, ou seja, que foram proibidos de vender suas ações por seis meses após a abertura de capital da empresa, venderam seus papéis em grande estilo.

Dado o desempenho da empresa desde a listagem, eles ainda conseguiram obter um lucro considerável. Mas a queda enviou um forte sinal de alerta aos investidores em outras grandes IPOs a partir do primeiro semestre deste ano. Os bloqueios do Uber (NYSE:UBER), Pinterest (NYSE:PINS) e Zoom Video também estão chegando ao fim (o do Uber acaba na próxima semana).

5. Estoques de petróleo devem ser divulgados

O governo dos EUA publicará sua atualização semanal sobre o suprimento doméstico de petróleo às 11h30 (horário de Brasília), um dia após o Instituto Americano de Petróleo estimar que os estoques de petróleo subiram modestos 592.000 barris na semana passada.

O relatório da Administração de Informação de Energia na semana passada mostrou uma queda surpreendente nos produtos refinados e manteve os preços do petróleo relativamente bem apoiados nesta semana desde então.

Às 7h da manhã, os futuros de petróleo nos EUA caíam cerca de 0,3%, dentro de faixas relativamente estreitas de US$ 55,47 por barril, com os traders satisfeitos em aguardar a decisão do Fed antes de fazer novas apostas significativas.