PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Stockbeat: Peugeot cai e FCA sobe com termos do acordo

31/10/2019 06h34

Eles adoraram ontem, mas os acionistas da Peugeot (PA:PEUP) estão revoltados com a ideia da fusão com a Fiat Chrysler Automobiles NV (MI:FCHA) agora que os termos foram anunciados.

As ações do grupo automobilístico francês caíam mais de 10% no início das negociações nesta quinta-feira, depois que as duas empresas anunciaram o que chamaram de fusão de iguais, o que criaria o quarto maior grupo automotivo do mundo, com receita anual de cerca de 170 bilhões de euros (US$ 190 bilhões). O chefe da Peugeot, Carlos Tavares, foi eleito presidente-executivo, com John Elkann da FCA como presidente de um conselho que teria seis diretores nomeados pelo grupo francês e cinco pelo italiano.

A reação sugere que os acionistas estavam despreparados para uma avaliação que atribui um valor relativamente maior às marcas Jeep, Maseratis e Alfa Romeo da FCA do que às marcas Peugeot e Citroen do grupo francês.

O grupo estima que poderá extrair 3,7 bilhões de euros por ano em sinergias anuais, graças à "alocação mais eficiente de recursos para investimentos em larga escala para as plataformas de veículos, transmissão e tecnologia e para aumentar a capacidade de compra aprimorada apropriada à nova escala do grupo combinado."

A parte mais intrigante do comunicado foi a seguinte:"Essas estimativas de sinergia não se baseiam em nenhum fechamento de fábrica".

As duas empresas não fazem promessas em relação à única medida que realmente aumentaria a lucratividade, esperando uma reação feroz dos governos francês e italiano se tentarem fechar alguma fábrica. Isso apesar do fato de que o mercado global de automóveis - e o europeu em particular - ter sido afetado pela capacidade excedente durante todo o boom que terminou anos atrás. As vendas de automóveis na UE atingiram o pico em 2000.

Há também alguns efeitos intrigantes. A Fiat Chrysler (FCA) pagará a seus acionistas um dividendo especial de 5,5 bilhões de euros e entregará suas ações em sua unidade de fabricação de robôs Comau, enquanto a Peugeot distribuirá a seus acionistas sua participação de 46% na fabricante de autopeças Faurecia. Os acionistas da Faurecia não aceitaram a ideia de que uma grande participação estratégica foi repentinamente despejada no mercado aberto em doses homeopáticas, e forçaram as ações para baixo em 4,0%.

Enquanto isso, ainda na quinta-feira, as ações estavam em geral mais baixas depois que o Federal Reserve sinalizou que provavelmente não haverá mais cortes nas taxas de juros este ano, depois de reduzir a meta para os fundos do Fed em 25 pontos-base, como esperado.

O índice Euro Stoxx 600 caía 0,4%, enquanto o alemão DAX caía 0,5%, o FTSE 100 do Reino Unido caía 0,7%, atingido pelos pesos pesados ??Lloyds Banking Group (LON:LLOY) e Royal Dutch Shell (LON:RDSa). O Lloyds sofreu uma perda no terceiro trimestre após uma enorme cobrança final pela venda incorreta de PPI, enquanto a Shell alertou que a economia fraca poderia atingir o cronograma de sua planejada redução de dívida e o ritmo de recompra de ações.