PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta terça-feira

12/11/2019 09h27

O presidente Donald Trump falará sobre a política econômica e comercial dos EUA em um almoço em Nova York, com um cenário de expectativas elevadas por uma possível trégua comercial com a China. Enquanto isso, havia sinais de que a economia alemã estava saindo do fundo do poço, enquanto Hong Kong enfrentou outro dia de violência generalizada. E a Disney lança seu serviço de streaming, o que o mercado apelidou de 'assassino do Netflix'.

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na terça-feira, 12 de novembro.

1. Trump discursará no Economic Club de Nova York

O presidente Donald Trump discursará às 14h (horário de Brasília) no Economic Club de Nova York, em meio a um cenário de expectativas de uma possível trégua comercial com a China que aumentou substancialmente nas últimas semanas, apesar de esforços nas sextas e sábados para baixá-las. Os relatos da semana passada sugeriram que o acordo comercial da "fase 1", discutido com a China, não deve ser finalizado até dezembro.

Muitos esperam que Trump comente não apenas o quanto pode estar no acordo com a China no que diz respeito à diminuição da disputa comercial mais prejudicial do mundo, mas também se ele pressionará as tarifas sobre produtos europeus, principalmente as importações de automóveis, como havia ameaçado anteriormente neste ano. O presidente da Comissão da União Europeia, Jean-Claude Juncker, disse na semana passada que não esperava que Trump seguisse com a ameaça.

Com esperanças de uma diminuição das tensões firmemente inseridas nos preços dos ativos, qualquer repetição de uma linha dura contra a China ou a Europa é capaz de gerar uma reação.

2. Sinais de vida na Alemanha?

A primeira grande pesquisa de confiança do mês na Europa mostrou uma melhoria maior do que o esperado nas expectativas para a economia alemã, fortalecendo as esperanças de que a maior economia da região possa estar saindo do fundo do poço.

O índice de sentimentos econômicos do ZEW melhorou para -2,1, seu nível mais alto em seis meses e bem à frente de um aumento de -22,8 em -13,2 para -13,8 em outubro. A melhoria é ainda mais visível pelo fato de o ZEW ter uma reputação de ser um indicador mais preciso dos pontos de virada do que dos níveis absolutos de atividade.

A notícia vem logo após o conselho de consultores econômicos do governo alemão revisarem suas previsões de crescimento neste e no próximo ano. A perspectiva mais positiva também ecoou em alguns relatórios de resultados corporativos, principalmente dos fabricantes de chips Geman Infineon e Dialog.

3. Ações programadas para abrir sem direção definida; Tyson, Rockwell devem apresentar ganhos

Os futuros dos EUA devem abrir um pouco mais altos, embora as negociações comerciais provavelmente permaneçam silenciosas até o discurso de Trump durante a tarde.

Às 8h25, os contratos futuros da Dow subiam 17 pontos, menos de 0,1%, enquanto os contratos futuros da S&P subiam 0,1% e os da Nasdaq 100 subiam uma fração a mais.

A lista de empresas programadas para reportar ganhos hoje é liderada pela gigante de carnes Tyson Foods, que deve mostrar um lucro líquido por ação de US$ 1,29 por trimestre e de US$ 5,52 por todo o ano, queda de 14% em relação ao ano anterior. Também será interessante a perspectiva dos preços da carne suína no contexto de uma epidemia devastadora que destruiu quase 200 milhões de porcos na China, mais de 40% do rebanho daquele país.

Outros relatórios agendados para terça-feira incluem Rockwell Automation, DR Horton, Datadog, listada recentemente pela CBS, e a Advance Auto Parts. A gigante automobilística japonesa Nissan reduziu suas previsões de vendas e lucros para o ano após uma queda de 70% nos lucros nos três meses até setembro.

4. Hong Kong tem protesto novamente

O distrito financeiro de Hong Kong ficou paralisado por protestos pelo segundo dia seguido, o que também afetou muitas escolas e lojas da cidade.

O South China Morning Post informou que a polícia disparou gás lacrimogêneo em pelo menos 12 locais diferentes, poucas horas depois de Carrie Lam, chefe da legislatura em conflito, prometer que a escalada da violência não faria com que seu governo recuasse. Lam também chamou os manifestantes de "inimigos do povo".

A escalada levou os senadores dos EUA a renovar os pedidos de votação da Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong, que aceleraria as sanções dos EUA àqueles considerados responsáveis ??por violar direitos consagrados na declaração sino-britânica de 20 anos atrás. O projeto de lei já passou na Câmara dos Deputados, mas foi derrubado pelo Senado, que teme atrapalhar as negociações comerciais do governo com ele.

5. Disney lança serviço de streaming

A Walt Disney deve lançar seu serviço de streaming Disney+ ainda hoje, com um preço inferior ao da Netflix (NASDAQ:NFLX) e o serviço Prime da Amazon (NASDAQ:AMZN) por US$ 6,99 por mês.

A Disney está entrando em um espaço cada vez mais movimentado, com Apple (NASDAQ:AAPL), AT&T e Comcast competindo com os dois maiores serviços de streaming por um público finito.

Uma pesquisa da Harris para The Wall Street Journal descobriu que os americanos estão dispostos a pagar US$ 44 por mês em serviços de streaming, sugerindo que há muito espaço para todos os itens acima crescerem no curto prazo, considerando um gasto médio atual de US$ 14 por mês. No médio prazo, no entanto, é provável que a concorrência fique muito mais intensa, dizem os analistas.

PUBLICIDADE