PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Calendário Econômico - As 5 principais notícias para ficar de olho nesta semana

24/11/2019 09h32

A semana será mais curta nos mercados dos EUA com o feriado de Ação de Graças de quinta-feira, mas, apesar disso, não será sem intercorrências, com os traders continuando a monitorar os últimos desenvolvimentos comerciais, relatórios de ganhos e dados econômicos, incluindo pedidos de bens duráveis ??e uma segunda olhada no crescimento do terceiro trimestre.

Os dados de confiança do consumidor na terça-feira e a Black Friday destacarão os gastos do consumidor. Em outros lugares, como na zona do euro, o foco estará na inflação. Aqui está o que você precisa saber para começar sua semana.

1. Mensagens desencontradas sobre acordo comercial

Os líderes dos EUA e da China enfatizaram na sexta-feira seu desejo de assinar um acordo comercial inicial e neutralizar uma guerra tarifária de 16 meses que agitou os mercados financeiros e agiu como um empecilho para o crescimento econômico global.

O presidente chinês, Xi Jinping, disse que Pequim quer elaborar um pacto comercial provisório ou "fase um", mas não tem medo de retaliar quando necessário.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na sexta-feira que um acordo comercial com a China está "potencialmente muito próximo", antes de acrescentar: "A questão é se eu quero ou não fazê-lo".

Mas as negociações podem fracassar se Trump assinar uma lei apoiando os manifestantes pró-democracia de Hong Kong ou se os navios de guerra dos EUA continuarem navegando perto das ilhas reivindicadas pela China no Mar da China Meridional.

2. Dados econômicos dos EUA

Tanto a indústria quanto o consumo estarão em destaque esta semana, com os investidores monitorando os PMIs industriais regionais em busca de sinais de desaceleração no setor fabril dos EUA.

Os dados de confiança do consumidor na terça-feira, juntamente com o início da extravagância anual do varejo na Black Friday, darão aos investidores novas ideias sobre a resiliência dos gastos do consumidor.

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, deve falar na segunda-feira, mas os dados de quarta-feira sobre pedidos de bens duráveis ??para outubro provavelmente serão o destaque do calendário, enquanto uma segunda leitura sobre o PIB do terceiro trimestre no mesmo dia não deve trazer nenhuma revisão significativa.

3. Mais balanços

Há uma série de relatórios de resultados saindo antes do feriado de Ação de Graças com a empresa global de roupas PVH, dona de marcas como Tommy Hilfiger e Calvin Klein, divulgando antes da abertura do pregão na segunda-feira. A empresa de cibersegurança Palo Alto Networks deve divulgar seu primeiro relatório de ganhos fiscais para 2020 após o encerramento no mesmo dia.

Os varejistas Burlington Stores, Dollar Tree (NASDAQ:DLTR), Best Buy e Dick's Sporting Goods devem reportar antes da abertura da terça-feira, enquanto Dell e a HP, que está sendo alvo da Xerox (NYSE:XRX) para uma aquisição, vão divulgar após o fechamento.

A fabricante de máquinas agrícolas Deere deve reportar nesta quarta-feira. A guerra comercial sino-americana pressionou a Deere em meio a incertezas persistentes sobre as perspectivas para o setor agrícola.

4. Black Friday

Os varejistas norte-americanos lançam vendas anuais da Black Friday em 29 de novembro, dando início à alta temporada de compras natalinas para cadeias de lojas que estão lutando para se adaptar ao encolhimento do movimento nos shoppings.

A mudança sísmica no cenário dos consumidores expôs uma crescente divisão entre varejistas capazes de adaptar suas lojas físicas ao mundo online, e outros lutando para manter os clientes entrando pelas suas portas.

Relatórios trimestrais recentes ilustram isso. As ações da Target (NYSE:TGT), por exemplo, subiram para recordes após elevar as previsões de lucro para o ano inteiro, mas as lojas de departamento Macy's e Kohl reduziram suas perspectivas antes da temporada de festas. As ações da Macy's estenderam suas perdas em 2019 para 50%.

Mas mesmo com tantas redes de lojas em dificuldades, as ações de varejo dos EUA não foram tão ruins. O índice de varejo do S&P 500 aumentou 21% no ano, não muito atrás dos 24% do S&P 500.

5. IPC da zona euro

Os dados preliminares de sexta-feira sobre a inflação na zona do euro serão acompanhados de perto, principalmente pela nova chefe do Banco Central Europeu, Christine Lagarde. O crescimento dos preços no bloco ultrapassou a meta do BCE de quase 2% desde 2013, e não se espera que atinja esse nível tão cedo, muito menos neste mês.

Pelo lado positivo, as previsões são de que a inflação anual tenha subido em novembro para o bloco e na Alemanha. Lagarde também prometeu rever a estratégia de inflação do BCE, seguindo os passos do Federal Reserve dos EUA.

Vários funcionários do BCE, incluindo o economista-chefe Philip Lane, também devem falar esta semana.

--A Reuters contribuiu para esta matéria.