PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Projeção de venda de até R$ 1,3 bi em 2020 não impede queda da Trisul

26/11/2019 10h57

No final da tarde de segunda-feira, a Trisul (SA:TRIS3) divulgou fato relevante com as projeções da companhia para 2020. O documento aponta que as vendas devem ficar entre R$ 1 bilhão e R$ 1,3 bilhão no próximo ano, com o volume de lançamentos também na faixa entre R$ 1 bilhão a R$ 1,3 bilhão.

Com isso, nos primeiros negócios da manhã desta terça-feira, as ações chegaram a apresentar uma valorização de quase 2%, chegando à máxima de R$ 13,79. Entrentanto, o preço dos papéis foi contaminado com o pessimismo que marca o pregão desta terça-feira. Às 10h56, as ações da Trisul (SA:TRIS3) eram negociadas em queda de 1,28% a R$ 13,14.

A incorporadora destacou que os dados são apenas projeções e que estão lastreadas em expectativas da administração para o futuro do negócio e seu contínuo acesso a capitais para financiar o seu plano de negócios.

"Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças nas condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e da economia brasileira", concluiu a Trisul (SA:TRIS3).

Para o BTG Pactual (SA:BPAC11), a companhia tem mais do que a recomendação de compra, estando entre as Top Pick. Os analistas destacam que o forte histórico, posicionamento sólido, ótima administração, bom potencial de crescimento, menor alavancagem, uma valoração atrativa e forte momento formam a base da nossa classificação, sendo a principal escolha entre as construtoras de média/alta renda. A meta de preço no prazo de 12 meses é de R$ 16, o que representa um upside de 20%, o eles consideram muito atraente, uma vez que a Trisul (SA:TRIS3) também traz riscos operacionais mais baixos.

LEIA MAIS: Ação da Trisul (SA:TRIS3) está "saborosa" e barata, diz BTG

Terceiro Trimestre

No terceiro trimestre desde ano, a companhia registrou um aumento de de 258% no VGV (Valor Geral de Vendas) dos lançamentos, totalizando R$ 338 milhões ante os R$ 94,4 milhões do mesmo período de 2018.

Já as vendas brutas subiram 119%, fechando em R$ 311,8 milhões, enquanto as vendas líquidas registraram variação positiva de 141%.

Com Money Times.