PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

ABERTURA: Com exterior positivo, Ibovespa futuro abre em alta; dólar cai

04/12/2019 09h21

Seguindo o otimismo das bolsas internacionais, o índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta quarta-feira com alta de 0,54% aos 109.705 pontos, com o dólar cedendo 0,25% a R$ 4,1959. O mercado deve seguir a cena externa, com maior otimismo com o avanço nas negociações entre Estados Unidos e China. O crescimento da economia brasileira ainda pesa de forma positiva.

- Cenário Interno

IPC

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo acelerou a alta a 0,68% em novembro depois de subir 0,16% em outubro, com forte alta dos alimentos e das despesas pessoais.

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) informou nesta quarta-feira o maior peso foi exercido pelo grupo Alimentação, de 0,3962 ponto percentual, após alta de 1,62% dos preços no mês.

O avanço de 1,72% das Despesas Pessoais também ajudou a pressionar, com peso de 0,2328 ponto. O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

Congresso Nacional

A pauta da Câmara dos Deputados, assim como a do Senado, depende do andamento da sessão conjunta do Congresso Nacional nesta terça-feira, e a data de votação do projeto de saneamento básico segue indefinida, mas deve ocorrer ainda neste ano, disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O parlamentar não descarta uma votação do projeto de saneamento, que teve sua urgência aprovada na última semana, nesta terça ou na quarta-feira. Afirmou, no entanto, também trabalhar com a "hipótese" de a proposta que atualiza o marco legal do saneamento básico ficar para a semana que vem.

"O problema é que ainda há uma desorganização na relação do governo com o Congresso. Melhorou muito, mas a gente ainda precisa ter isso ajustado", disse o deputado, garantindo que o projeto deve ser votado ainda neste ano.

Sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da regra de ouro, que aguarda votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Maia reconheceu que pode não haver tempo para se instalar uma comissão especial para a matéria ainda neste ano.

- Cenário Externo

China

A atividade no setor de serviços da China acelerou para uma máxima de sete meses em novembro, com ampliação dos novos negócios, especialmente para exportação, mostrou nesta quarta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

O PMI de serviços do Caixin/Markit subiu para 53,5 no mês passado, ritmo mais rápido desde abril, de 51,5 em outubro. Ele permanece acima da marca de 50 que separa crescimento de contração desde o final de 2005.

O desempenho mais forte indica alívio da pressão sobre o setor de serviços, que vinha vacilando nos últimos meses em meio à desaceleração econômica. A leitura de novembro do PMI oficial de serviços, publicada pela Agência Nacional de Estatísticas, também acelerou de uma mínima de vários anos.

O subíndice de novos trabalhos para exportação subiu para a máxima de quatro meses, com as novas encomendas em geral acelerando também.

EUA e China

Os Estados Unidos e a China estão se aproximando de um acordo sobre a quantidade de tarifas a serem revertidas na fase um de um acordo comercial, informou a Bloomberg nesta quarta-feira, citando fontes.

O secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, disse nesta terça-feira que é mais importante obter um acordo comercial adequado com a China do que concluí-lo até dezembro deste ano ou do próximo —após as eleições presidenciais de 2020.

Ross disse à Reuters em entrevista que as duas maiores economias do mundo ainda precisam trabalhar detalhes sobre as compras de produtos agrícolas pela China, algumas questões estruturais e um mecanismo de fiscalização para concluir um acordo comercial provisório.

Donald Trump, falando na Europa, disse nesta terça-feira que um acordo comercial interino com a China poderia ficar para depois das eleições presidenciais dos EUA, em novembro de 2020, diminuindo as esperanças de um fim rápido para uma guerra comercial de 17 meses que tem pesado sobre o crescimento global.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,05%, a 23.135 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,25%, a 26.062 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,23%, a 2.878 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,03%, a 3.849 pontos.

A quarta-feira se mostra positiva para o mercado de ações da Europa. Em Frankfurt, o DAX soma 1,05% aos 13.124 pontos, com o FTSE, de Londres, avançando 0,25% aos 7.177 pontos. Já em Pais, o CAC valorizando 1,26% aos 5.799 pontos.

COMMODITIES

A jornada desta quarta-feira foi mais uma com o registro de importante valorização para os contratos futuros do minério de ferro, que são transacionados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento para janeiro do próximo ano, avançou 1,77% para 622,00 iuanes por tonelada, o que representa uma variação de 11,50 iuanes em relação ao valor de liquidação da véspera, que foi de 650,50 iuanes por tonelada.

Em sentido oposto, a sessão foi negativa para os papéis futuros do vergalhão de aço, que são negociados na também chinesa bolsa da cidade de Xangai. O contrato de maior liquidez, para janeiro de 2020, cedeu 16 iuanes para 3.603 iuanes por tonelada. Já o segundo em volume, com entrega para maio do mesmo ano, a queda foi de 10 iuanes para 3.413 iuanes por tonelada.

Para o petróleo, a quarta-feira mostra-se como um dia de ganhos para os preços nas principais praças. Em Londres, o barril do tipo Brent, tem alta de 1,86%, ou US$ 1,13, a US$ 61,95. Já em Nova York, o WTI avança 1,59%, ou US$ 0,89, a US$ 56,99.

MERCADO CORPORATIVO

- Aço e Alumínio

Unidos por serem alvos do presidente americano Donald Trump, que decidiu aumentar as tarifas de importação de aço e alumínio contra Argentina e Brasil, negociadores dos dois países irão aproveitar a Cúpula do Mercosul para tentar ensaiar uma ação coordenada de resposta aos Estados Unidos, mesmo com o atual presidente argentino, Maurício Macri, prestes a deixar o cargo.

Uma reunião entre os diplomatas e negociadores econômicos dos dois governos deve acontecer nesta quarta-feira para repassar a agenda conjunta dos dois países e incluirá as novas taxas americanas, confirmou à Reuters o embaixador Pedro Miguel da Costa e Silva, Secretário de Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas do Itamaraty.

"No meu nível de coordenação já trocamos algumas impressões, mas vamos ter sim uma reunião com os Argentinos para tratar de vários temas, inclusive esse", disse.

Na segunda-feira, Trump anunciou pelo Twitter que iria retomar as taxas contra Brasil e Argentina e acusou os dois países de desvalorizarem artificialmente suas moedas para melhorarem a competitividade no mercado internacional, o que não é verdade em nenhum dos dois casos.

- Embraer (SA:EMBR3) – Boeing

A associação de investidores do mercado de capitais Abradin entrou nesta terça-feira com pedido no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para abertura de inquérito sobre o acordo envolvendo as fabricantes de aviões Embraer (SA:EMBR3) e Boeing.

O pedido foi feito cerca de dois meses depois que a entidade, que se descreve como "autora de ações em prol dos investidores e em defesa do mercado de capitais nacional", recorreu à Comissão Europeia contra o acordo em que a Boeing comprará o controle da divisão de avião comercial da Embraer (SA:EMBR3) em uma transação de cerca de 4,2 bilhões de dólares.

"Esperamos que o Cade atenda aos princípios morais que este governo diz defender. Porque da forma que está sendo feita esta operação, é um acinte à legalidade", disse o presidente da Abradin, Aurélio Valporto.

O ex-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) também tinha recorrido ao Cade contra a transação, alegando abuso de poder econômico e criação de barreiras para entrada de novas empresas no setor aeroespacial. O negócio também é alvo de ação no Supremo Tribunal Federal (STF) impetrada em outubro pelo PDT, que busca liminar para suspensão do negócio. O processo foi enviado na segunda-feira à Procuradoria Geral da República (PGR), que deve se manifestar via parecer.

- Hapvida (SA:HAPV3)

A empresa de planos de saúde Hapvida (SA:HAPV3) afirmou nesta terça-feira que assinou uma proposta vinculante para comprar a Medical Medicina Cooperativa Assistencial de Limeira, no interior paulista, por cerca de 294 milhões de reais.

Em fato relevante, a Hapvida (SA:HAPV3) afirmou que a Medical tem cerca de 80 mil beneficiários e que o valor da transação pode mudar por ajuste de preço decorrente de possível variação da diferença entre ativos e passivos da empresa comprada.

- Frigoríficos

As exportações de carne bovina do Brasil devem manter um ritmo de alta em 2020 após os recordes deste ano, diante de uma continuidade na forte demanda da China e de perspectivas positivas com Rússia, Estados Unidos e Indonésia, afirmou nesta terça-feira a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

Segundo a entidade, as vendas para o mercado externo são o principal fator positivo para o segmento em 2020, uma vez que o mercado interno tende a permanecer em patamares semelhantes aos vistos em 2019.

Em nota, a Abrafrigo afirmou prever para o próximo ano um crescimento de cerca de 10% nos embarques do produto em relação a 2019, ano no qual o acumulado indica 1,7 milhão de toneladas exportadas até novembro —alta de 13% versus 2018.

"(Esperamos que) volte os EUA, que a Rússia habilite mais plantas, que comecem a aparecer bons números da Indonésia... Estamos otimistas, as exportações estão crescendo", disse o presidente da Abrafrigo, Péricles Salazar, ponderando que a concretização do avanço "depende do cenário internacional".

- Engie (SA:EGIE3)

A Engie pretende exercer direito de preferência de compra da fatia remanescente de 10% da Petrobras (SA:PETR4) na Transportadora Associada de Gás (TAG), empresa de gasodutos que foi arrematada este ano por consórcio liderado pela francesa, disse nesta terça-feira Maurício Bähr, diretor-presidente Engie Brasil Energia (SA:EGIE3).

Segundo ele, esse tema deve ser discutido já no primeiro semestre do ano que vem.

"Isso vai chegar na mesa em breve e a gente tem direito de preferência. Nosso desejo é exercer o direito de preferência, e acho que já no ano que vem... acredito que no primeiro semestre", disse ele a jornalistas, após participar de evento no Rio de Janeiro.

A Engie (SA:EGIE3) e o fundo canadense Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ) pagaram cerca de 33,5 bilhões de reais para a Petrobras (SA:PETR4) por 90% da TAG.

- Cosan (SA:CSAN3)

O grupo brasileiro de energia Cosan Ltd (SA:CZLT33) está participando por meio da Raízen de um processo organizado pela Petrobras (SA:PETR4) para desinvestimento em ativos de refino no Brasil, disseram executivos da companhia nesta terça-feira.

O diretor financeiro da Cosan (SA:CSAN3), Marcelo Martins, afirmou em teleconferência com analistas e investidores que a Raízen ainda está avaliando a possibilidade de comprar uma refinaria da Petrobras (SA:PETR4).

Ele ressaltou, no entanto, que uma eventual concretização do interesse por ativos de refino exigiria retornos elevados devido ao risco envolvido no negócio.

- Setor Elétrico

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu em reunião nesta terça-feira manter restrições à participação da estatal Furnas, da Eletrobras (SA:ELET3) em leilão para concessão de projetos de transmissão de energia agendado para este mês.

A medida, que se deve a atrasos da companhia na construção de projetos do setor nos últimos anos, foi confirmada pela agência reguladora após análise de um recurso de Furnas.

Pelas regras das licitações de transmissão, não podem concorrer de forma isolada ou como líderes de consórcios empresas que não atendam requisitos pré-definidos pelo regulador sobre o registro de atrasos e multas por descumprimento de cronogramas de projetos.

A Aneel apontou em despacho de 13 de novembro que Furnas e Chesf, também subsidiária da Eletrobras (SA:ELET3), terão a participação restrita no próximo leilão devido a essa regra, assim como a estatal paranaense Copel (SA:CPLE6).

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

O site do Palácio do Planalto informa que o único compromisso público do presidente da República nesta quarta-feira é uma reunião com Abraham Weintraub, Ministro da Educação.

- Paulo Gudes

- Reunião semanal com o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa;

- Reunião com o Secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel e com o Secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar

- Audiência com o Senador Omar Aziz (PSD-AM)

- Audiência com o Senador Romário (Podemos-RJ)

- Audiência com a Senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP)

- Reunião semanal com o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto.