PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Suzano registra ligeira queda após aprovar investimentos de R$ 933 mi no ES

19/12/2019 11h42

Na reta final da manhã desta quinta-feira, as ações da Suzano são negociadas com desvalorização depois que seu conselho de administração aprovou investimentos de R$ 933,4 milhões Espírito Santo, que serão financiados pela monetização de créditos de ICMS de que a companhia é titular.

Com isso, por volta das 11h45, os ativos da papeleira cediam 0,66% a R$ 39,31.

De acordo com o fato relevante, do total, 130 milhões de reais serão destinados à construção de uma fábrica de conversão para a produção de papel higiênico e papel toalha, com capacidade de 30 mil toneladas anuais.

Outros estimados em 272,4 milhões de reais serão investidos em retrofit parcial na fábrica de produção de celulose localizada em Aracruz, envolvendo a substituição de partes da caldeira de recuperação e a instalação de um sistema de cristalização.

O plano ainda prevê 531 milhões de reais para desenvolvimento de base florestal envolvendo a aquisição de imóveis, arrendamentos de terras e plantios.

A fabricante de papel e celulose disse que os investimentos estão condicionados às aprovações dos projetos pelo Governo do Estado do Espírito Santo.

Também afirmou que os investimentos não afetam o fluxo de caixa da companhia e que os desembolsos no retrofit da fábrica em Aracruz e no desenvolvimento da base florestal já estão contemplados na estimativa de capex para 2020.

XP reitera compra

A XP Investimentos divulgou na noite de ontem relatório reforçando o otimismo com o setor de papel e celulose para 2020, reiterando a recomendação de compra para Suzano (SA:SUZB3) com o preço-alvo indo de R$ 40,00 para R$ 45,00. No caso do Klabin (SA:KLBN11), foi mantida a indicação Neutra, com o valor esperado para o final do próximo ano avançando de R$ 19,00 para R$ 20,50.

A visão positiva dos analistas está baseada em uma expectativa de recuperação das margens dos fabricantes de papel, na tendência estrutural positiva para a demanda de celulose, na pequena entrada de nova capacidade no mercado e também na normalização dos estoques no primeiro semestre de 2020.

Eles acreditam que o nível atual das ações da Suzano precifica o preço de celulose no patamar de US$470/t – valor este que se compara aos US$520/t que assumindo modelos para 2020. Além disso, destacam que surpresas positivas quanto à integração com a Fibria podem aparecer. Quanto à alavancagem da Suzano, eles têm um modelo uma dívida líquida / EBITDA de 4,6x e 3,7x em 2020 e 2021, respectivamente.