PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Combate ao Aedes aegypti deve dominar debates após palestra conduzida pelo secretário David Uip durante SEMINÁRIO LIDE

SEMINÁRIO LIDE

02/03/2016 11h49

SÃO PAULO, 2 de março de 2016 /PRNewswire/ -- Com o tema "Políticas de saúde pública para o Estado de São Paulo" e exposição do secretário de Estado de Saúde de São Paulo, David Uip, o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais realiza no dia 15 de março, às 7h30, no Hotel Pullman, em São Paulo, o 1º Seminário LIDE de 2016. O evento contará também com a participação de Rolf Hoenger, presidente da Roche Farma Brasil; Carlos Sanches, presidente da EMS; João Doria, presidente do Comitê Executivo do LIDE; e Luiz Fernando Furlan, chairman do LIDE e presidente do LIDE INTERNACIONAL.

O combate ao Aedes aegypti deve dominar debates após a palestra ministrada pelo secretário David Uip. Resistente e adaptável, além de ser vetor de contágio da dengue, das febres chikungunya e amarela e outras enfermidades, o mosquito está no centro da atual epidemia do zika vírus. Considerado uma das espécies mais difundidas no planeta pela Agência Europeia para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês), o Aedes aegypti - nome que significa "odioso do Egito" – é combatido no Brasil desde o início do século passado.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), desde maio de 2015, quando foi notificado o primeiro caso de zika, a doença se propagou no Brasil e em outros 22 países. De acordo com pesquisas científicas feitas no Brasil, o zika vírus pode estar relacionado ao surto de casos de microcefalia. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde, no dia 1º de março, registram 4.222 casos suspeitos e 641 provados desta doença, em que a cabeça e o cérebro do bebê são significativamente menores comparados aos de outras crianças da mesma idade e sexo.

Na avaliação de Dr. Claudio Lottenberg, presidente do LIDE Saúde, todo cidadão está sujeito a contrair um dos vírus transmitidos pelo Aedes aegypti, mas há pessoas que estão mais vulneráveis a desenvolver a forma grave da doença, tais como idosos, gestantes, dependentes químicos e pessoas com algum tipo de doença crônica pré-existente. "Por isso, é imprescindível que as campanhas de conscientização e ações preventivas sejam intensificadas", conclui Lottenberg. O oftalmologista também preside o Hospital Israelita Albert Einstein.

A primeira edição do SEMINÁRIO LIDE conta com o copatrocínio da EMS e ROCHE. Como fornecedores oficiais, estão as empresas ANTILHAS, CDN COMUNICAÇÃO e CORPORATE IMAGE. AMÉRICA ECONOMIA BRASIL, as rádios ANTENA 1, BAND e BANDNEWS, o jornal DCI, PR NEWSWIRE, e revista e TV LIDE são mídias partners do evento.

Contato: Rose Rocha

rose-rocha@cdn.com.br / (11) 3643 2952

FONTE SEMINÁRIO LIDE