PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

No ambiente politicamente carregado de Curaçao, a única esperança do ex-primeiro-ministro Gerrit Schotte e Cicely Van der Dijs é por uma audiência de recurso justa é que venham juízes da Holanda.

Movement for the Future of Curacao

28/03/2016 14h30

WILLEMSTAD, Curaçao, 28 de março de 2016 /PRNewswire/ -- Em um ambiente altamente politizado, a única maneira para que Gerrit Schotte, ex-primeiro-ministro, e o senador Cicely Van der Dijs, sua sócia, podem aumentar suas chances de receber uma audiência justa no futuro processo de recurso em Curaçao é se novos juízes forem trazidos da Holanda para ouvir seu caso. Ao enviar uma petição para que juízes venham diretamente da Holanda e sem nenhum envolvimento prévio com o sistema jurídico de Curaçao, a equipe legal que representa o Sr. Schotte fez dessa uma condição sine qua non para, ao menos, tentar obter um julgamento justo para seu cliente.    

De acordo com Eldon Sulvaran, o advogado de defesa de Schotte, "juízes devem vir da Holanda ou todo o caso continuará sendo politicamente manchado".

A composição atual do Tribunal de Apelações em Curaçao inclui juízes holandeses que residem na ilha e que são fortemente influenciados pelos políticos locais e pela imprensa de língua holandesa, que é abertamente parcial e contra o ex-primeiro-ministro. Esses juízes não sabem ler a imprensa em idioma Papiamentu que tende a ser mais equilibrada em seu tratamento do Sr. Schotte e de seu partido, o Movimento pelo Futuro de Curacao (MFK).

De acordo com o Sr. Sulvaran, "Curaçao é uma ilha tão pequena que todos se conhecem. Os juízes holandeses que vivem aqui interagem de perto com a comunidade holandesa local, e os políticos a favor dos holandeses. Eles também não sabem Papiamentu, portanto, todas as notícias que têm vêm da imprensa holandesa altamente parcial. Suas sentenças tendem a refletir esse relacionamento fechado." 

Nesse ambiente altamente politizado que circunda o julgamento e o processo de recursos, o governo está usando isso como uma oportunidade para melhorar seus índices de aprovação bastante baixos. Uma pesquisa de opinião recente realizada pela Vox Latina, uma empresa internacional independente de pesquisa, mostra que mais de 70 por cento do público não aprova o trabalho que o governo vem fazendo.  Com as eleições legislativas marcadas para 30 de setembro de 2016, as forças do governo estão usando o julgamento de Schotte como ferramenta de campanha para atacar especialmente o líder do MFK.

Gerrit Schotte e Cicely Van der Dijs recorreram da sentença do Tribunal de Primeira Instância porque foi baseada em claras violações do Código Criminal, incluindo a apresentação de evidências obtidas ilegalmente, a violação de sua privacidade, e o assédio de sua sócia, a Srta. Cicely Van der Dijs. Essas violações representam infrações muito claras e diretas dos direitos fundamentais de Schotte e Van der Dijs a um julgamento justo e imparcial. 

O MFK crê que a sentença é parte de uma campanha de perseguição política encenada por autoridades holandesas para dar um fim à carreira política de Schotte e frustrar suas chances de vencer as eleições de setembro. 

Schotte e Van der Dijs esperam que com a chegada de novos juízes para ouvir seu caso, eles tenham uma melhor chance de obter um tribunal imparcial, conforme determinado por lei. Talvez também seja a única maneira pela qual o sistema judiciário de Curaçao consiga reobter a confiança de seus cidadãos que, predominantemente, veem a acusação do Sr. Schotte e de sua sócia como sendo politicamente motivada.

Contato:

Secretaria Geral Sra. Sithree van Heydoorn

Movimento pelo Futuro de Curacao (MFK)

+5999 540-9714 

e-mail: office@mfk.cw

To view the original version on PR Newswire, visit: http://www.prnewswire.com/news-releases/no-ambiente-politicamente-carregado-de-curacao-a-unica-esperanca-do-ex-primeiro-ministro-gerrit-schotte-e-cicely-van-der-dijs-e-por-uma-audiencia-de-recurso-justa-e-que-venham-juizes-da-holanda-300242006.html

FONTE Movement for the Future of Curacao