Bolsas

Câmbio

Acionistas agrários peruanos aplaudem escolha da OCDE de deferir decisão de membresia do Peru

Peruvian-American Bondholders for Justice (PABJ)

Os dados abaixo são de responsabilidade das empresas envolvidas e não são produto jornalístico do UOL

WASHINGTON, 19 de dezembro de 2017 /PRNewswire/ -- O seguinte comunicado é emitido em nome de Peruvian-American Bondholders for Justice (PABJ):

O Peruvian-American Bondholders for Justice (PABJ), um grupo dedicado à liquidação justa dos títulos atrasados da reforma agrária peruana, emitiu a seguinte declaração hoje a respeito da decisão da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de deferir uma decisão sobre a possibilidade de convidar o Peru para integrar a organização:

"Nós aplaudimos a decisão da OCDE de deferir uma decisão de membresia sobre o Peru. Conforme discutido em um relatório emitido pela PABJ em 4 de dezembro de 2017, a inação, decepção e fraude por parte do Peru em falhar em resolver os títulos de reforma agrária atrasados continua sendo um indicativo de corrupção sistêmica de longa data, o que impacta a credibilidade e elegibilidade do país para integrar as fileiras das nações preparadas para a OCDE.

"O Peru desapropriou 23 milhões de acres de terra de cidadãos entre 1969 e 1979, e os cidadãos foram forçados a aceitar títulos de reforma agrária por suas terras. Na maioria dos casos, os títulos nunca foram liquidados, e aqueles que foram reembolsados foram recentemente vendidos por quantias ínfimas por acre.

"Escolher não oferecer candidatura ao Peru na OCDE desta vez é a escolha correta, especialmente à luz de graves alegações que surgiram contra diversos membros do alto escalão do governo peruano nas últimas semanas.

"Tais incluem:

Após negar categoricamente ter recebido fundos da empresa brasileira de construção, Odebrecht, que está envolvida no maior escândalo de corrupção da América Latina, Pedro Pablo Kuczynski, presidente do Peru, finalmente admitiu que atuou como consultor financeiro para eles; o Congresso do Peru divulgou documentos mostrando que empresas ligadas ao presidente receberam US$ 4,8 milhões enquanto ele atuava como primeiro-ministro ou ministro de economia e finanças. Três membros do supremo tribunal no Peru, o Tribunal Constitucional, poderiam enfrentar remoção e outras sanções nos seguintes dias pelo Congresso (o juiz Eloy Espinosa pode enfrentar remoção permanente e uma suspensão de 10 anos de funções públicas) sobre acusações de corrupção - e outro (Oscar Urviola, ex-presidente do tribunal) está sob investigação em um caso de falsificação no qual foi usado corretivo líquido para alterar uma decisão relacionada aos títulos da reforma agrária. "As características de uma nação pronta para a OCDE são compromisso com a transparência, desenvolvimento econômico e promoção de políticas e soluções para aprimorar a qualidade de vida dos cidadãos. A declaração de missão da OCDE também declara que eles 'resolvem tornar a vida mais difícil para terroristas, sonegadores de impostos, empresários fraudulentos e outros cujas ações debilitam uma sociedade justa e aberta'.

"Além das recentes alegações de corrupção na administração atual, o histórico de falhas do Peru em divulgar as dívidas com os títulos da reforma agrária à OCDE e ao FMI mostra que eles se enquadram na categoria de nações que a OCDE busca evitar.

"Contamos com a OCDE para continuar deferindo a candidatura do Peru por membresia até que ele cumpra todos os requisitos de elegibilidade, especialmente aqueles relacionados à lei, corrupção e práticas de liquidação de dívidas."

 

FONTE Peruvian-American Bondholders for Justice (PABJ)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos