Bolsas

Câmbio

Brasil é primeiro país a aprovar antecipação de tratamento da Janssen para câncer no sangue

Janssen

Os dados abaixo são de responsabilidade das empresas envolvidas e não são produto jornalístico do UOL

SÃO PAULO, 3 de abril de 2018 /PRNewswire/ -- Os brasileiros com mieloma múltiplo recém-diagnosticados e que não podem realizar o transplante autólogo de células-tronco (quando o doador é o próprio paciente) serão os primeiros do mundo a se beneficiar de uma nova terapia. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de aprovar a antecipação do medicamento daratumumabe, imuno-oncológico desenvolvido pela Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, para esses casos.

A aprovação foi baseada no estudo ALCYONE, apresentado durante o último congresso da Sociedade Americana de Hematologia, em Atlanta, nos Estados Unidos, em dezembro de 2017. O trabalho demonstrou que daratumumabe em combinação com outros fármacos – bortezomibe, melfalano e prednisona – reduz em 50% o risco de progressão da doença ou de morte nos pacientes com mieloma múltiplo inelegíveis para o transplante quando comparado ao tratamento padrão[1] .

Atualmente, cerca de 7,6 mil brasileiros são acometidos pela doença a cada ano[2]. "Até então, daratumumabe tinha indicação para esses pacientes após falha de um tratamento prévio. Agora, eles não precisarão esperar para utilizar o medicamento e se beneficiar com a terapia", afirma Telma Santos, Diretora Médica da Janssen Brasil.

Daratumumabe chegou ao Brasil em maio do ano passado, após ser avaliado em regime de priorização pela Anvisa, o que antecipou o acesso à terapia em um ano e meio, praticamente ao mesmo tempo em que os principais países do mundo.

A aprovação foi considerada pela comunidade médica um marco na evolução do tratamento para o mieloma múltiplo. "A qualidade da resposta ao tratamento é extremamente importante, pois pode significar um aumento da sobrevida do paciente, principalmente quando ele não é elegível para o transplante", completa Breno Moreno de Gusmão, hematologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Daratumumabe usa o próprio sistema imunológico do paciente para combater o câncer. Por ser uma terapia-alvo, atua especificamente nas células tumorais, proporcionando menos efeitos colaterais e, consequentemente, melhora na qualidade de vida do paciente.

MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Ariane Salles - ariane.salles@littlegeorge.com.br / (11) 5090-8962

Deborah Moratori - deborah.moratori@littlegeorge.com.br / (11) 5090-8953

Flávia Knispel - flavia.knispel@littlegeorge.com.br / (11) 5090-8900 R.: 8852



[1] Mateos M., et all. Phase 3 Randomized Study of Daratumumab Plus Bortezomib, Melphalan, and Prednisone (De-VMP) Versus Bortezomib, Melphalan, and Prednisone (VMP) in Newly Diagnosed Multiple Myeloma

[2] [ENTREVISTA] Presidente da ABRALE discute cenário do Mieloma Múltiplo no Brasil. Disponível em http://www.oncoguia.org.br/conteudo/entrevista-presidente-da-abrale-discute-cenario-do-mieloma-multiplo-no-brasil/4138/8/ . Acesso em 28/03/2018.

FONTE Janssen

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos